terça-feira, 8 de julho de 2008

Nunca antes na história deste país...


Presidente Lula.
Essa frase do presidente Luiz Inácio Lula da Silva é bastante simbólica. Para o bem e para o mal.

Em geral, seus adversários políticos a usam para achincalhar qualquer coisa que o governo faça.

Por outro lado, ela deve ser usada mesmo cada vez que nós, cidadãos desta ex-colônia, nos surpreendemos com coisas nunca antes vistas nem imaginadas como possíveis nestas terras.

Quem poderia imaginar o Sr. Daniel Dantas ser preso? Quem em sã consciência imaginaria liberdade de atuação da Polícia Federal para prender por aí dezenas de políticos e prefeitos de tudo quanto é partido?

Aos desavisados, eu recomendaria a leitura do livro "O mapa da corrupção no governo FHC" de Larissa Bortoni e Ronaldo de Moura, editado pela Fundação Perseu Abramo.

Ele relembra e faz um apanhado de como a corrupção era tratada no Brasil até 2002, mais notadamente no período do desmanche do Estado pela tucanagem.

O meu maior receio é todo esse nosso sonho de um país melhor ser interrompido nas eleições de 2010. A possibilidade de voltarmos a ter o país gerido pela mão da elite conservadora existe. Mas, sigamos avançando e lutando para que o povo brasileiro saiba como não cair nas armadilhas eleitoreiras dos donos do poder econômico, traduzidos nos partidos PSDB e DEM, além de muitos coronéis espalhados pelo PMDB.


Post Scriptum (julho/2013)

Pois é, às vezes, acreditamos que mudanças no status quo são possíveis. 

No momento deste artigo, vivia a euforia do banqueiro Dantas encarcerado. O tempo nos mostrou que os amigos dos donos do poder não ficam presos... 

O tempo nos mostrou que corrupção só é apurada e julgada se for aquela que tenha relação com pessoas e partidos que não estão na seara do poder secular da Casa Grande no Brasil.

O "mensalão" do PSDB mineiro ninguém sabe, ninguém viu! O propinoduto do PSDB no metrô paulista, ninguém sabe, ninguém apura, ninguém do PIG publica, ninguém viu!

O receio agora é para 2014...

Concluo quase por mudar o título deste artigo eufórico lá de 2008. Seria algo como "Quase sempre como antes na história deste país..."

Nenhum comentário: