quinta-feira, 11 de setembro de 2008

O intelectual deve combater estereótipos


Edward W. Said. Fonte: Wikipedia.

REFEIÇÃO CULTURAL - 4


"Uma das tarefas do intelectual reside no esforço em derrubar os estereótipos e as categorias redutoras que tanto limitam o pensamento humano e a comunicação"

Edward W. Said (do livro Representações do intelectual)


Entre meus alimentos culturais e suas digestões, tenho passado dias de má-digestão neste setembro de 2008. Não pela qualidade do alimento, que tem sido da melhor espécie, mas pelo sofrimento com a percepção da realidade, onde muitas vezes vejo que não concordo com decisões equivocadas dos grupos aos quais me filio na luta pela mudança da realidade, mas vejo que estou só, ou quase só.

Não aceito participar de uma eleição não-transparente porque simplesmente acabaríamos por validar um processo que pode não espelhar a verdadeira vontade dos votantes*. 

Bom, padeço com minhas decepções e sigo adiante...


LEITURAS: VERÍSSIMO E SARAMAGO

Li O mundo é bárbaro, de Luís Fernando Veríssimo. Ele é muito bom. Foi importante para mim a recomendação de lê-lo, porque nos últimos anos criei um preconceito injustificado contra escritores e intelectuais que só descem o cacete no Governo Lula, na CUT e no PT. Mas como diz Said, não posso fazer isso. Não está correto.

Acabei jogando todos no mesmo saco. Parti do princípio de que todos que escrevem nos veículos da grande mídia não prestam. Sei que estou errado.

O Veríssimo é um caso claro disso. Ele sempre teve espaço na grande mídia e é um excelente escritor e cronista. Fala de todos o que acha que tem que falar. RECOMENDO!

Li Ensaio sobre a lucidez, de Saramago. Pela leitura feita, pude perceber o quanto o livro é bárbaro (sem trocadilho com o Veríssimo! Bárbaro = fantástico).

Sigo tentando ser um intelectual e sobretudo um sábio, pois sou um ser completo de lacunas culturais e ainda não-realizado. Não sou nada ainda, apesar de sempre sermos algo para alguém.


*COMENTÁRIO EM 2013 - me referia à época a uma eleição em 2008 de uma entidade nacional de funcionários do Banco do Brasil - Anabb.

Nenhum comentário: