sábado, 13 de setembro de 2008

Os Trezentos de Esparta (e leitura sobre a Bolívia)


Filme de 1962, baseado em fatos reais. 

Refeição Cultural 5


Refeição: leitura, filme, caminhada, música. E um bom bate-papo com meu amigo Deli.

Assisti ao filme sobre o espartano Leônidas e a Batalha das Termópilas contra os persas liderados pelo rei Xerxes. 

Não, não é o filme de 2007 com o galã Rodrigo Santoro. Assisti ao filme inglês Os trezentos de Esparta, de 1962, dirigido por Rudolph Maté. Gostei. Aprecio filmes mais antigos, quando as interpretações é que mandavam na qualidade e resultado final do filme.

Bom, terminado o filme, passei a tarde envolto em pilhas e pilhas de revistas, papéis e livros (eu simplesmente não tenho onde pôr tanta coisa no "apertamento" em que moro). A fuçança começou por eu procurar a revista da Superinteressante, n. 238 de abril de 2007, que falava sobre Esparta. Eu a encontrei horas depois.

À noite, tomando uma cervejinha, li a matéria sobre Esparta. Muito boa! Dentre algumas curiosidades, a revista afirmou que foram os espartanos os criadores da democracia grega e não os atenienses. 

O termo "lacônico" vem de Lacônia, região cuja capital era Esparta, e o significado da palavra equivale a falar o mínimo necessário.


OUTRAS LEITURAS

Que mais li?

Li o livro Bolívia - nas ruas e urnas contra o imperialismo, de Leonardo Wexell Severo, companheiro que trabalha na CUT nacional. 

O livro é de leitura fácil e agradável. Ele compilou uma série de matérias a respeito dos ataques da elite local contra o governo democrático e popular de Evo Morales - elite conservadora e fascista, mancomunada com o governo norte-americano (eterno construtor de golpes). 

(COMENTÁRIO POSTERIOR: No momento da postagem - 2008 -, o país viveu um ataque seríssimo à unidade nacional e houve mortos e Estado de Sítio)

É importante que os latino-americanos se informem e se organizem contra o imperialismo. Isso é sério! Nenhum de nós está livre desses golpes.


Em conversa com meu mestre e amigo Deli, dividi algumas angústias sobre os rumos da política, do movimento sindical; aonde já chegamos e aonde podemos chegar, e coisas do gênero. É bom partilhar momentos com sábios, para sorver um pouco de suas sabedorias.


Ouvi muita música new age. Era, Enya, Kitaro, Loreena McKennitt, Apocalyptica, El Bosco e Vangelis. Excelente pra relaxar!


Hora de dormir, pois amanhã madrugo para participar de uma corrida de rua de 8 km.


Nenhum comentário: