segunda-feira, 27 de outubro de 2008

Casada e viúva - Conto de Machado de Assis, de 1864

Publicado originalmente em Jornal das Famílias, 1864

I
"No dia em que José de Meneses recebeu por mulher Eulália Martins, diante do altar-mor da matriz do Sacramento, na presença das respectivas famílias, aumentou-se com mais um a lista dos casais felizes.

Era impossível amar-se mais do que se amavam aqueles dois. Nem me atrevo a descrevê-lo. Imagine-se a fusão de quatro paixões amorosas das que a fábula e a história nos dão conta e ter-se-á a medida do amor de José de Meneses por Eulália e de Eulália por José de Meneses."


Este é mais um conto da fase primeira de Machado.

Pelo menos, já temos nele aquele narrador que diz ter interesse por descrever e estudar alguns caracteres de seus personagens.

"Quanto ao que há de vulgar em tudo o que acabo de contar, sou eu o primeiro a reconhecê-lo. Mas que querem? Eu não pretendo senão esboçar quadros ou caracteres, conforme me ocorrem ou vou encontrando. É isto e nada mais."

E aí? É ou não é a raiz do Machado que explodiria mais adiante como o maior escritor de nossa literatura, o nosso Dostoiévski ao estudar a alma e a natureza humana?

Nenhum comentário: