domingo, 29 de novembro de 2009

Leitura de Raízes do Brasil, de Sérgio Buarque de Holanda

Estou lendo o segundo capítulo. A linha interpretativa do autor é brilhante. Ao ler, você vai vendo a gênese de nosso povo e vai visualizando as características dos povos ibéricos em relação aos europeus.

Como seria bom se os brasileiros tivessem a oportunidade de lerem já na adolescência os livros de nossos pensadores e ensaístas. Livros de Caio Prado Jr, Sérgio Buarque de Holanda, Darcy Ribeiro, Antonio Candido, Celso Furtado, Gilberto Freire, Raymundo Faoro, dentre outros.

Eu sei que os livros estão aí em algumas bibliotecas e nos sebos e muitos ainda têm edições para aquisição em lojas e livrarias. Mas, falo de oportunidade verdadeira, ou seja, que as obras fizessem parte da bibliografia e das referências das escolas e das demais práticas de ensino, não como algo obrigatório e maçante (e nem isso ocorre) e sim com programas de incentivo à leitura de forma descontraída, com mídias modernas para aliviar o peso da leitura, seminários a respeito das obras, grupos de leitura, etc.

Capítulo 2 - TRABALHO & AVENTURA

-Portugal e a colonização das terras tropicais
-Dois princípios que regulam diversamente as atividades dos homens
-Plasticidade social dos portugueses
-Civilização agrícola?
-Carência de orgulho racial
-O labéu associado aos trabalhos vis
-Organização do artesanato; sua relativa debilidade na América portuguesa
-Incapacidade de livre e duradoura associação
-A "moral das senzalas" e sua influência
-Malogro da experiência holandesa

Há um texto do autor, anexo ao capítulo: Persistência da lavoura de tipo predatório

Bibliografia:
HOLANDA, Sérgio Buarque. Raízes do Brasil. Companhia das Letras, 26ª edição, 27ª reimpressão 2007.

Nenhum comentário: