quarta-feira, 27 de janeiro de 2010

Refeição Cultural 46

Hoping for the best, but expecting the worst

(Atualizado em 13/6/10)

Coisas de ontem e de hoje.

As chuvas de verão seguem castigando a Grande São Paulo. O mundo segue girando. O 10º FSM discute os rumos de um possível mundo melhor. Eu vejo algo mais como a frase da música de Alphaville - Forever Young:

"Hoping for the best, but expecting the worst"

Outro dia fui vítima de assaltantes pés de chinelo, que assaltavam vários pobres e trabalhadores na passarela da CPTM perto de casa.

Hoje, minha vizinha - gente muito simples - foi assaltada na avenida perto de casa por dois meliantes que também escolhem pobres para serem suas vítimas. É de uma covardia que inflama meu peito de um ódio que me assusta muito...

Assisti a um vídeo e li um pouco a respeito da 2a Guerra Mundial. Tenho muito que aprender ainda para ser menos ignorante sobre o tema. Creio que os jovens de hoje são MUITO MAIS IGNORANTES QUE EU no assunto. Na verdade, acho que os jovens estão cada dia menos inteligentes, apesar de nunca na história ter havido tanta informação e tantos meios de se aprender.

Li mais um capítulo do livro Raízes do Brasil, de Sérgio Buarque de Holanda. Hoje o tema foi o famoso "Homem Cordial". Não é bem o que me diziam, não.

Já vi pessoas esculhambando o autor por causa da questão da criação da chamada "cordialidade" do homem brasileiro. Como ele explica no livro, nem dele é a expressão. Ele a toma emprestada para tentar descrever um pouco do que seriam algumas das características do povo brasileiro em relação a outrem.

Tem algo a ver com a ideia de tentar-se sempre estabelecer relações mais informais com quem quer que seja - amigo, parente, estranho, negociante, autoridades, adversários etc.

Em outros países a questão da formalidade de tratamento é muito mais rígida que aqui no Brasil. Percebe-se isso até pelos pronomes de tratamento e formas verbais.

Aprendi alguma coisa hoje.

Nenhum comentário: