terça-feira, 15 de junho de 2010

Raízes do Brasil - Sérgio Buarque de Holanda

Cara, que coisa fantástica é a leitura de Raízes do Brasil.

Você vai lendo e vendo o povo brasileiro e suas características mais profundas, mais tupiniquins.

Às vezes, ia lendo o capítulo 6. Novos Tempos e vendo a elite brasileira falando e defendendo suas ideias.

AS IDEIAS FORA DO LUGAR
"Na verdade, a ideologia impessoal do liberalismo democrático jamais se naturalizou entre nós. Só assimilamos efetivamente esses princípios até onde coincidiram com a negação pura e simples de uma autoridade incômoda, confirmando nosso instintivo horror às hierarquias e permitindo tratar com familiaridade os governantes. A democracia no Brasil foi sempre um lamentável mal-entendido". p.160

A ELITE BRASILEIRA
"Uma aristocracia rural e semifeudal importou-a (democracia liberal) e tratou de acomodá-la, onde fosse possível, aos seus direitos ou privilégios, os mesmos privilégios que tinham sido, no Velho Mundo, o alvo da luta da burguesia contra os aristocratas. E assim puderam incorporar à situação tradicional, ao menos como fachada ou decoração externa, alguns lemas que pareciam os mais acertados para a época e eram exaltados nos livros e discursos". p.160

Caramba! Estou lendo e vendo o discurso político da elite brasileira!! É chocante!


Bibliografia:
HOLANDA, Sérgio Buarque. Raízes do Brasil. Companhia das Letras, 26ª edição, 27ª reimpressão 2007.

Nenhum comentário: