domingo, 17 de novembro de 2013

Filme: O caminho (2010)... e nossos caminhos


Poster do filme

Filme: O caminho (2010)... e nossos caminhos


“Você não escolhe uma vida, você vive uma”


Sinopse:

Pai e filho, norte-americanos, têm relacionamento difícil. Após morte da mãe, filho único de meia idade abandona a formação superior e resolve viajar e conhecer o mundo. O pai é um oftalmologista bem estabelecido, escolheu a sua vida.

Um dia, o pai recebe um telefonema informando-lhe sobre a morte de seu filho que havia recém começado o caminho de Santiago de Compostela na Espanha. A saída havia sido pelo lado francês do caminho, San Jean Pied de Port, atravessando os Pirineus.

Lá chegando para identificar e cuidar do corpo do filho, o pai resolve fazer o caminho no lugar dele, levando suas cinzas. Pelo caminho vai encontrando pessoas e vidas que o fazem refletir sobre sua própria vida e sua relação com o filho.


Comentário sobre o filme:

O filme é bem feito. A história é boa.

O diretor aposta nas imagens maravilhosas das regiões ao longo do Caminho de Santiago. Também nos emociona o drama vivido pelo pai de Daniel, que se vê fazendo o caminho por seu filho falecido.

A trilha sonora é lindíssima. Quem não gosta de James Taylor... Alanis Morissette...

O final também é muito bonito.


Refeição Cultural

Por duas vezes na vida me programei para ir até a Espanha para fazer o Caminho de Santiago de Compostela. Esse era um de meus objetivos na famosa lista de coisas a realizar que quase todo mundo tem. Eu não seria diferente.

Na verdade, minha lista de objetivos a alcançar vem de longe, bem longe. Eu persigo algumas coisas desde que era adolescente. Depois, atualizei a lista na crise pessoal que vivi quando tinha uns 27 anos. Quando vejo a lista atualmente, de forma muito esparsa e sem gana de realizá-la, vejo que algumas coisas lá não têm mais nenhum sentido. Outras têm.

Me organizei pra fazer o Caminho no ano de 2002. Já vinha pesquisando e vendo como pagar passagens e tal, iria viajar em minhas férias de julho daquele ano. Daí, fui convidado para compor a chapa cutista do Sindicato dos Bancários e acabei virando dirigente sindical e tive que abortar minha viagem porque não era adequado ser eleito e viajar logo após, principalmente na época de construção da campanha dos bancários.

Depois, comecei novamente o planejamento para fazer o Caminho em 2008. Desta vez, cheguei a tirar meu passaporte e tudo. Acabou não dando certo de novo por várias questões. Por acasos da vida, acabei carimbando meu passaporte na Espanha, pois fui a Madri a trabalho em 2009. O Caminho de Santiago ficou pelo caminho de novo...


O filme reacendeu algo em mim

Pois é, assisti ao filme e me emocionei muito. As imagens, a lembrança de meu antigo objetivo, talvez o contexto que vivo hoje refletindo sobre os rumos de minha vida, sei lá mais o quê, me tocaram profundamente. E aí, devo fazer o caminho ou não devo?

Quando abortei a ida para o Caminho em 2008, acabei decidindo na época que não iria mais fazê-lo. Cheguei a pensar que, se já sei como é, não valeria o gasto e o trabalho em fazê-lo.

Antes do filme, dias atrás, vi um vídeo de meu primo Jorge (na companhia do amigo Wanderlei) que realizou um sonho recente de ir até Roraima de moto e subir ao Monte Roraima. Fiquei muito tocado ao ver as imagens da realização desta aventura de meu primo naquela montanha.

Vendo o filme nesta semana, fiquei pensando a respeito de minha decisão de 2008...

Na verdade, nada substitui estar lá no local que você sonha conhecer. Nada substitui isso. Nem imagens, nem nada. Fazer pessoalmente algo é único. Imagine se dá pra descrever a sensação de saltar de paraquedas e a pessoa sentir o que você sente no abrir da porta do avião, do salto, do tranco do paraquedas abrindo, do voar por até oito minutos entre as nuvens e pássaros, freando a descida para aproveitar cada minuto daquele momento no céu...



Resumindo, voltei a pensar que vale a pena fazer o Caminho de Santiago de Compostela. Mesmo que eu já tenha prática de fazer a caminhada de 80 km em MG todos os anos. Mesmo sabendo “como” deve ser. Para cada caminhante, em cada oportunidade, o Caminho é único. Exatamente como é a vida...

7 comentários:

Anônimo disse...

Vi esse filme hoje e fiquei encantada. Cheguei a me imaginar fazendo aquele trajeto... Filme lindo! Em breve verei novamente. Procurando comentários sobre o filme encontrei seu blog e lhe digo: tudo nessa vida tem hora certa para acontecer e não desista, faça o caminho por nós!
Grande abraço, sucesso e uma excelente futura peregrinação!

Raquel Speransa

William Mendes disse...

Olá Raquel, tudo bem?

Eu acredito que ainda vou me pegar andando por lá... um dia eu vou!

Grande abraço!!

Anônimo disse...

Faça mesmo e aproveite cada minuto!
Depois nos conte aqui,
abraço para você!

Raquel

Anônimo disse...

Faça mesmo e aproveite cada minuto!
Depois nos conte aqui,
abraço para você!

Raquel

Anônimo disse...

Faça mesmo e aproveite cada minuto!
Depois nos conte aqui,
abraço para você!

Raquel

Anônimo disse...

Olá, William Mendes.
estou assistindo ao filme no Pipoca e em interessei pelo nome da musica do James Taylor, digitei no google e fui conduzida ao seu blog. Ainda não sei o nome da música mas conheci seu blog e gostei muito. Realmente o filme é emocionante e fascina mesmo. Faço votos que você consiga realizar seu sonho e depois espero lê-lo aqui. Estarei visitando seu blog ok?
Sonia Abu

William Mendes disse...

Olá Sonia Abu, tudo bem contigo? Espero que sim.

Acredito que a vida me conduzirá sim para o Caminho algum dia.

Eu tenho nesse blog um espaço que cuido com muito carinho. Acalentei a ideia de ser professor ou lidar com educação e acabei sendo conduzido para outras missões na vida. Mas aqui eu partilho o que penso e às vezes tenho esse diálogo com os leitores e pessoas da rede mundial.

Grande abraço e tudo de bom!