domingo, 16 de fevereiro de 2014

Conhecendo os Estados Unidos da América (1)



Essa é para quem achava que Forrest Gump era ficção...

Refeição Cultural


É interessante como a vida nos leva por aqui e por ali ao longo de nossa passagem pela Terra. Eu nunca pensei em viajar para os Estados Unidos a passeio, porque não me lembro de ter desejado conhecer nada neste país a não ser o Grand Canyon.

Politicamente, eu tenho muita aversão ao que chamamos cultura americana. Em termos de história do mundo e do imperialismo americano, também não suporto o que esse país fez e faz aos demais países subdesenvolvidos do Planeta.

Em dezembro passado (2013), vim pela primeira vez aos EUA. Fui à cidade de Nova York a trabalho. Voltei agora, também cumprindo uma agenda de trabalho. Estou em Orlando - Flórida e vou com meus companheiros para a cidade de Nova York neste domingo, se as tempestades de neve permitirem os voos para lá.

Nessas viagens que tive a oportunidade de fazer, a gente trabalha muito e quase não consegue parar para andar pelo local e conhecer alguma coisa.

Estivemos aqui em Orlando por quatro dias e basicamente eu só fui em um "Outlet" porque o pessoal queria comprar coisas.


Os americanos - mitos e tabus


Olhem o tamanho deste cruzamento na cidade de Orlando...

Uma das coisas que chamam a atenção aqui é o tamanho dos carros. São muito grandes! As ruas são enormes. A cidade de Orlando não foi feita para se andar a pé nela.


Essa é clássica. É verdade, mesmo!
Onde está o 13º andar?

Aquele negócio de não colocar o número 13 nos andares é verdade! É difícil de acreditar, mas é!


Essa do hamburguer tirei em dezembro lá em Nova York.
Desta vez, aqui em Orlando, achamos comida "normal".

O hamburguer dos americanos é gostoso, mas calórico pra burro! Em relação à comida, tudo é muito rápido. Comer, comer, comer... é o melhor para poder engordar...

Tudo aqui é business. Nós fomos jantar num bar e o contratado era das 19 às 21 horas. Cara, quando deu 21 horas, nos pediram pra sair do local e começaram a limpar. Em minutos, o local onde estavam as mesas e o nosso pessoal do movimento sindical, ficou clean e pronto pra outra.

Em relação ao conceito que eu tinha das pessoas, eu estava equivocado. Uma coisa é a gente avaliar os Estados Unidos pelos seus governantes e multinacionais (o 1%). Outra, é você conhecer a classe trabalhadora e as pessoas comuns (os 99%). O povo é muito gente boa.

Tanto em dezembro quanto agora, o que percebi é que as pessoas comuns são cordiais como em muitos outros lugares. É muito legal conversar com os trabalhadores ou com pessoas em lugares públicos.

É isso! A oportunidade me permitiu ser um pouco menos ignorante nesta vida.

William

Nenhum comentário: