segunda-feira, 21 de abril de 2014

Feriado de corridas, filmes e leituras


Refeição Cultural


Neste feriado de Páscoa, de Dia do Índio, de Tiradentes, aproveitei para descansar, refletir, e curtir coisas que gosto como correr, ler e ver alguns filmes. Joguei videogame com o filho e fiquei com a família.

Estou relendo a parte que já havia lido do livro sobre a história de vida de Lula. Li cento e poucas páginas em 2011 e estou relendo agora no feriado. 

Minha esposa tem um pouco de razão quando diz que eu deveria ter lido outra coisa que não fosse política. Mas fazer o que, né? Estou vivendo o fim de semana que antecede o resultado das eleições da Cassi e, após o ano tumultuado que tive, nada mais será o mesmo. Vou pra Cassi ou vou fazer outra coisa da vida porque não tenho mais mandato no meu Sindicato de base.

É um fim de semana diferente neste sentido da política, da minha vida política.

Em relação às corridas, corri e caminhei todos os dias do feriado, a começar pela quinta-feira. Corri na quinta uns 2k, corri na sexta 3k, andei no sábado uns 6k e no domingo, fiz um longão muito importante para restabelecer limites ao meu corpo. Corri mais de uma hora. Fiz 72' de corrida em trote, com muitas subidas e administrando as dores que sinto faz tempo em meus tendões de Aquiles. Fiquei muito feliz de ultrapassar meus limites atuais em corrida. Isso dá uma energia de poder pessoal interessante!

Assisti filmes também. Dois do Hitchcock, ontem, que foram fantásticos: Os pássaros (1963) e Janela indiscreta (1954). Os filmes do cara são diferentes do que estamos acostumados. Também assisti ao filme Amigo Oculto (2005). O filme aborda questões de psicologia. Os filmes foram muito bons.

É isso. Estou com vontade de escrever sobre um capítulo inteiro do livro sobre o Lula, abordando o quanto se é possível tirar lições de um bom sindicalismo daquele capítulo, principalmente em relação à forma CUTista de ser e da Articulação Sindical. Mas fico pensando também em pra que escrever? Pra quem? De certa forma, acho que seriam palavras ao vento, como o que estou fazendo agora.

Escrever no blog ou no meu diário dá quase que no mesmo. É lógico que no blog é confissão pública e no diário é coisa só minha.

Sei lá, quando vejo política e quando vejo sindicalismo e lembro do quanto vivi nele estes 12 anos, dá uma gana tão grande de continuar... Mas em momentos seguintes, dá vontade de ir fazer outra coisa. Vamos ver o que me reserva a vida a partir de quarta-feira (23), após o resultado das eleições da nossa Caixa de Assistência dos Funcionários do BB.

William

Nenhum comentário: