sexta-feira, 19 de dezembro de 2014

Diário - 181214 (Bebo em Drummond... corro contra a tristeza)



Correr... meu comprimido de "soma"...

Refeição Cultural


Os ombros suportam o mundo

"Chega um tempo em que não se diz mais: meu Deus.
Tempo de absoluta depuração...


E os olhos não choram.
E as mãos tecem apenas o rude trabalho.
E o coração está seco..."


BEBO EM DRUMMOND
Hoje foi um dia difícil e até triste para mim.
Minhas mãos estão tecendo o rude trabalho aqui em Brasília DF.
Estou em débito com meu filho e esposa pela ausência deste dia.
Não pude estar nesta noite na formatura dele lá em Osasco SP.
Me senti mal por isso.

- Parabéns meu filho por completar essa fase dos estudos. Siga adiante e me perdoe por desta vez não ter conseguido estar aí com vocês!

Com a tristeza, alguns usam drogas.
Outros bebem. Boa parte toma remédio.
Meu remédio foi chegar quase nove da noite, por um tênis e sair correndo.

Essa é uma cena que me marcou muito em Forrest Gump. Para digerir grande tristeza, Forrest pôs o tênis e saiu correndo...

Corri até sentir a digestão feita daquela dor do dia. Foram 10 km.
Eu não vou permitir mais nada me fazer parar de correr como fiz comigo mesmo nos últimos anos.


"Ficaste sozinho, a luz apagou-se,
mas na sombra teus olhos resplandecem enormes.
És todo certeza, já não sabes sofrer.
E nada esperas de teus amigos..."


BEBO EM DRUMMOND
Posso até ficar sozinho para enfrentar os desafios que tenho, mas tenho minhas certezas, mesmo quando não sabemos onde está o verdadeiro abraço amigo, o verdadeiro afago de carinho sem interesse nem hipocrisia.


"Pouco importa venha a velhice, que é a velhice?
Teus ombros suportam o mundo
e ele não pesa mais que a mão de uma criança.
As guerras, as fomes, as discussões dentro dos edifícios
provam apenas que a vida prossegue
e nem todos se libertaram ainda.
Alguns, achando bárbaro o espetáculo,
prefeririam (os delicados) morrer.
Chegou um tempo em que não adianta morrer.
Chegou um tempo em que a vida é uma ordem.
A vida apenas, sem mistificação."


BEBO EM DRUMMOND
A minha vida é uma ordem, dada por mim mesmo para os compromissos que estabeleço para cumprir. Depois de traições, tristezas, temos projetos do bem a encaminhar e para a coletividade, não há espaço para mistificação... as dificuldades só provam que a vida prossegue e não adianta morrer.


POEMA DAS SETE FACES

Quando nasci, um anjo torto
desses que vivem na sombra
disse: Vai, Carlos! ser gauche na vida...

O homem atrás do bigode
é sério, simples e forte.
Quase não conversa.
Tem poucos, raros amigos
o homem atrás dos óculos e do bigode...

Mundo mundo vasto mundo,
se eu me chamasse Raimundo
seria uma rima, não seria uma solução.
Mundo mundo vasto mundo,
mais vasto é meu coração....


BEBO EM DRUMMOND
Meu coração é vasto, não desisto fácil... DE NADA!

E finalizo com Legião Urbana


METAL CONTRA AS NUVENS

Eu sou metal, raio, relâmpago e trovão...

É a verdade o que assombra
O descaso que condena
A estupidez, o que destrói
Eu vejo tudo que se foi
E o que não existe mais
Tenho os sentidos já dormentes
O corpo quer, a alma entende
Esta é a terra-de-ninguém
Sei que devo resistir
Eu quero a espada em minhas mãos
Eu sou metal, raio, relâmpago e trovão
Eu sou metal, eu sou o ouro em seu brasão
Eu sou metal, me sabe o sopro do dragão
Não me entrego sem lutar
Tenho, ainda, coração
Não aprendi a me render
Que caia o inimigo então...

CORRI 10 KM, BANHEI-ME COM ENDORFINA (SERÁ MEU REMÉDIO), AGORA VOU DORMIR E ACORDAR PARA UM NOVO DIA... PORQUE EU TENHO MUITO QUE FAZER... E ESTOU VIVO PRA ISSO!
William

Nenhum comentário: