sábado, 6 de junho de 2015

Diário - 060615 (Dia D)



Dia D (6 de junho) - desembarque na Praia de Omaha, Normandia - França.
Foto: Wikipedia.

Refeição Cultural - o Dia D

6 de junho de 1944 ficou conhecido na história como o Dia D na Segunda Guerra Mundial. Os alemães nazistas já haviam dominado praticamente todo o continente europeu. O nazismo avançou de forma avassaladora após o início da guerra entre 1939 e 1944 conquistando e subjugando os povos do velho continente.

Um dos episódios mais cultuados em filmes, livros e iconografia em geral é o desembarque na Praia de Omaha, na Normandia. A praia faz parte de um conjunto de praias na Normandia onde desembarcaram os aliados para tentar recuperar o território francês, invadido e sob domínio de Hitler quase que desde o início da 2ª GM. O desembarque foi um banho de sangue com milhares de soldados aliados sendo triturados pelas metralhadoras alemãs.

Cada vez que vejo as cenas originais daquele banho de sangue e extermínio de pessoas nos campos de batalha e nos campos de concentração - no front, jovens de diversas partes do mundo, e nos campos de concentração, os humanos escolhidos pelo nazismo e fascismo como gente a ser exterminada do planeta - judeus, comunistas, pessoas com deficiência (PcD), ciganos, enfim, gente não ariana - cada vez que relembro a nossa história real, fico pensando porque nossa sociedade humana permite que continuemos em nome do capitalismo, do elitismo, da discriminação de classes, da intolerância ao diferente... porque a sociedade humana está sempre a semear a próxima tragédia humana da próxima guerra - civil ou não.

Hoje faz 71 anos que os países aliados buscaram toda a união global possível para vencer o nazi-fascismo. O risco totalitário do Nazismo era tão grande que foi preciso unir os adversário políticos socialistas e capitalistas. A Caixa de Pandora fora aberta quando os alemães ascenderam ao poder Adolf Hitler e teve início o 3º Reich em 1933.

Durante os seis anos civis de ascensão dos ideais nazistas e convencimento de toda uma nação alemã, do médico ao metalúrgico, dos jovens aos idosos, dos padres aos acadêmicos, entre 1933 e 1939, todos os atos fascistas cometidos pelo 3º Reich contra o povo judeu, contra os adversários políticos, contra as minorias, contra os países vizinhos, foram TOLERADOS pelos demais países do mundo, mais distantes do dia a dia alemão. Foram TOLERADOS pelas pessoas desses países. Foram TOLERADOS até pelos alemães e judeus que viviam na Alemanha e achavam que aquilo era daquele jeito mesmo, era como tinha que ser.

A 2ª Guerra Mundial, a ascensão do Nazismo e a quase conquista de todo o continente europeu pelo nazi-fascismo começou com a tolerância a todos os atos e fatos fascistas tolerados pela população comum, pela legislação instituída, pelos países e por seus líderes e instituições.


6 de junho de 1944 (Dia D) - jovens como nós unidos contra o Nazismo,
que após 5 anos de guerra, já dominava todo o território europeu.
Por não conhecer a história, as pessoas de hoje acham que não
é nada deixar as ideias fascistas germinarem em nosso país.

Estamos no dia 6 de junho de 2015. 

Parabéns aos meus três familiares que fazem aniversário nesta data. Parabéns aos meus amigos e conhecidos que fazem aniversário nesta data.

Infelizmente, perdi a relação próxima que tinha com um de meus familiares que completam anos hoje. Desejo-lhe saúde e paz.

Na minha leitura de observador da história das sociedades humanas, estamos vivendo a ascensão dos ideais fascistas plantados pelos donos do poder capitalista. No nosso caso brasileiro, pelas famílias donas das mídias monopolizadas, pela pequena elite centenária que sempre usurpou o povo brasileiro e pela oposição partidária ao governo do Partido dos Trabalhadores, oposição que sem ter projeto para o país que convencesse o povo pelo voto, aderiu aos ideais fascistas e golpistas dos grandes donos do poder centenário na ex-colônia Brasil.

Neste contexto e nessa fase da construção golpista e fascista em nosso país, a imprensa cínica e canalha mudou o perfil das novas gerações de brasileiros. Foram 13 anos atacando o governo de Lula e de Dilma e os governos do PT de forma parcial, cínica, canalha. Exponencia erros do PT e esconde todos os erros e corrupções de governos aliados a eles, imprensa partidária. 

O chavão da "corrupção" sempre foi o mote ao longo da história da luta entre Capital versus Trabalho quando essa luta se expressa em governos eleitos democraticamente com características mais populares contra governos mais à direita, aliados aos capitalistas e donos das imprensas monopolizadas.

Eu sei que tenho que ter humildade para me relacionar com os estranhos que não me conhecem e não sabem pelo que luto e o que represento, por ser liderança eleita pelos trabalhadores. Mas tenho dificuldades em ter a mesma tolerância com as pessoas mais próximas que sabem o que sou, o que represento e pelo que luto. Já vimos na história dos momentos de golpes e quebras institucionais que os regimes totalitários quando implantados não perdoam ninguém. A cisão é total entre amigos, conhecidos e familiares. Eu tenho tentado avisar isso nos últimos anos o tempo todo às pessoas comuns que conheço.

Enfim, desejo de verdade que não tenhamos que ter daqui a alguns anos um novo "Dia D" de união global contra um gigante totalitário nazi-fascista a dominar quase que o mundo todo.

Desejo que cada cidadão brasileiro, meus colegas bancários, meus familiares, meus amig@s, que cada pessoa reaja com firmeza aos ataques incentivados pela oposição ao governo federal e pela imprensa das famílias bilionárias do PIG (Partido da Imprensa Golpista). 

Se as pessoas e as instituições legais e formais não reagirem a essa liberalização "informal" dos atos criminosos racistas, xenófobos, contra liberdade de opinião política e de caça a militantes e lideranças do PT ou aos militantes de esquerda e de movimentos sociais, nós vamos reviver o que a história nos mostra de ascensão totalitária do fascismo.

William Mendes

Nenhum comentário: