quarta-feira, 15 de julho de 2015

"Este mundo é muito misturado"




"Que isso foi o que sempre me invocou, o senhor sabe: eu careço de que o bom seja bom e o rúim rúim, que dum lado esteja o preto e do outro o branco, que o feio fique bem apartado do bonito e a alegria longe da tristeza! Quero os todos pastos demarcados... Como é que posso com este mundo? A vida é ingrata no macio de si; mas transtraz a esperança mesmo do meio do fel do desespero. Ao que, este mundo é muito misturado..." (p. 237)

(Riobaldo Tatarana - Grande Sertão: Veredas, Guimarães Rosa. Editora Nova Fronteira, 19ª edição)


Um pensamento, um falar simples com uma reflexão profunda sobre a existência humana.

O desejo meu é que as coisas fossem sempre muito claras, lados definidos etc como bem dito acima com sabedoria jaguncês. Mas a vida na prática não é como a gente quer.

E por isso também está ali bem explicado o segredo do viver: "a esperança mesmo do meio do desespero".

Estou enfiado numa missão muito desafiadora nesta altura de minha vida de representação dos trabalhadores: fortalecer a Caixa de Assistência dos Funcionários do Banco do Brasil, uma entidade de saúde num mundo da saúde em crise. Lá cheguei faz um ano e tanto aprendi e mudei. E não mudei. 

Mudei no aprender técnico e nas certezas que não tinha. Não mudei no saber o que represento e o que estou fazendo lá.

Vida dura no transitar. Eu carecia "que o bom seja bom e o rúim rúim" mas a realidade no convívio com os seres humanos está longe longe disso. Mas a gente segue muito firme nos propósitos.

Este mundo é muito misturado...

William Mendes

Nenhum comentário: