quinta-feira, 15 de setembro de 2016

Diário - 150916 (cansaço)





Acordei nesta quinta-feira com grande dificuldade de levantar da cama. Fiquei mais de uma hora acordando e cochilando mais alguns minutos. Bateu um cansaço danado em mim. Será que eu era Gregor Samsa...

Acabei levantando para retomar as lutas diárias que nossa função social exige. Como diz meu poeta favorito, Drummond:

"Chegou um tempo em que não adianta morrer.
Chegou um tempo em que a vida é uma ordem.
A vida apenas, sem mistificação.
"


Cheguei ontem do Rio de Janeiro quase à meia noite. Fui cumprir uma agenda de trabalho. Participei de encontro com aposentados do Banco do Brasil. Depois fiz um esforço extra na agenda e saí de Xerén, em Duque de Caxias, para ir à Unidade Cassi do outro lado do Rio de Janeiro e voltar pra embarcar no Galeão, no final da noite.

Fui conversar com os trabalhadores da nossa entidade de saúde. O esforço valeu a pena. Esse pessoal que dedica sua vida à Cassi deve ser muito respeitado por nós gestores, pelo Banco do Brasil e pelos associados de nossa operadora de autogestão em saúde.

Não sei o porquê desse cansaço grande que me segurou na cama até mais tarde... 

Na verdade eu sei sim. Saber do espetáculo dantesco que a máquina do estado de exceção em que vivemos fez com o presidente Lula me deprimiu profundamente. Uns fulanos da máquina estatal denunciaram Lula por um monte de crimes inventados. Faz parte do Golpe prender nosso líder e talvez até soltá-lo depois, mas sem poder participar da vida pública. Me disseram que a montagem foi ao vivo através das teletelas do Grande Irmão Globo.

A gente às vezes quase morre de desgosto. A caça ilegal a este homem de bem, maior liderança do povo brasileiro em toda a sua história, nos faz perder a fé e a esperança em lutar com as ferramentas legais contra as injustiças e contra o status quo, contra o sistema hegemônico e explorador do capitalismo, que sempre foi e sempre será cego em relação ao povo que a gente representa e faz parte, a classe trabalhadora e gente humilde.

Neste momento, ainda em casa, estou com muita raiva e desprezo de qualquer ser humano que foi favorável a todo esse processo de quebra da democracia e golpe nazifascista contra Dilma, Lula e o Partido dos Trabalhadores. Sinto um desprezo gigantesco pelos hipócritas e tenho dó dos manipulados que participaram disso. Mas sou um cidadão civilizado para lidar com a alteridade.

O que estão fazendo com o Lula nos avisa que não há mais normalidade alguma na vida civil. Se alguém desse Estado dantesco e golpista olhar pra mim ou pra você, cismar comigo ou com você, souber que eu existo e que não pactuo com essas aberrações do sistema totalitário em que entramos, podem expedir uma ordem de me vaporizar da normalidade civil. Qualquer um de nós que nos opusermos ao que se instalou no aparelho do estado de exceção golpista pode ser a próxima vítima a qualquer instante. Que adianta termos toda uma vida honesta e de bons princípios e ética e correção? Basta incomodarmos os deuses do estado de exceção e acabou.

A quem recorrer dentro da legalidade? A "legalidade", a lei e as instituições que deveriam proteger a legalidade e os cidadãos foram tomadas pelo estado de exceção. Fizeram parte do golpe que ceifou a democracia em nosso país.

Não há mais solução na legalidade para retomar a democracia e a liberdade verdadeira, a liberdade não autorizada pelo Grande Irmão P.I.G. e pelos novos donos do aparelho estatal.

Fico vendo lideranças do campo da esquerda discutindo nuanças se o povo que ainda luta nas ruas deve reivindicar "Diretas já" ou a volta da presidenta ilegitimamente deposta com apoio de todas as estruturas legais do Estado. Ou até se deve prevalecer o lema "Fora Temer". Os mais doidinhos de sempre, das correntes pseudo-revolucionárias pedem "Fora todos". Eu fico vendo isso e fico melancólico. Até vou pra rua quando minha agenda de trabalho permite. Mas os esperançosos na legalidade civil são quase como crianças, na minha opinião.

Não há volta da democracia dentro da legalidade civil. Este golpe foi organizado com todos os poderes do aparelho do Estado, com os envolvidos comprados a soldo de milhões. Com o apoio do país que organiza golpes no mundo há um século. E os aparelhos de manipulação estão azeitados para fazer continuar adormecida a massa humana pescada nas teletelas com bundas, futebol, novelas, aparelhos de celular e rede social, estão causando com selfs cada vez mais legais...

Podem dizer que não gostam mais do Grande Irmão Globo, mas no fundo todos querem mais é ter seu segundo de fama nas redes sociais... é tudo "mãe, tô na grobo" do mesmo jeito.

Não há solução na legalidade civil para salvar Lula, para salvar o movimento popular que está nas ruas contra o golpe e pedindo novas eleições. Esse povo vai começar a morrer, vítima dos aparelhos repressores do Estado golpista. Não dá pra enfrentar armas com o corpo nu. 

Qual órgão do Estado iria conduzir um processo de novas eleições?

O Congresso Nacional dos golpistas? O STF do salário aumentado no processo de destituição da presidenta sem crime? A OAB que sumiu, desapareceu, escafedeu-se...? Ou seria os órgãos deuses PF MPF MP que agora podem entrar em nossas casas, inventar ilações contra cidadãos ou empresas, nos prender sem Habeas Corpus e sem direito a um telefonema...? (e se for interessante, combinado com o Grande Irmão Globo)

Já sei! Vamos denunciar aos órgãos de imprensa...

Fiquei cansado e com dificuldades para levantar, mas já levantei. Vamos desempenar o corpo e sair pra luta. 

E com um problema desse que tomou conta de nossa vida civil brasileira, que espaço eu teria pra chorar o que enfrento no dia a dia dentro da entidade de saúde que administro como eleito pelos associados? Mandato em que não deixei de ser eu mesmo e passei a questionar e enfrentar coisas erradas na burocracia e nesses dois anos já sofri represálias que são difíceis de dizer aos amigos e pessoas que representamos? As perseguições e más vontades que enfrentamos nos quebram um pouco. Mas o processo é pra isso mesmo. As coisas estão mais difíceis ainda com a nova composição na gestão... mas aviso que não vou me desviar de meus princípios e conduta.

Estou terminando de reler Edward Said nesta semana porque preciso renovar minhas convicções na ética, no papel que temos que desempenhar como pessoas que têm conhecimento e que não devem se dobrar aos encantos e facilidades do poder instituído. Eu tenho que achar muita energia para manter minha linha de representação da classe a qual pertenço e dizer o que penso e o que tem que ser dito a qualquer um que seja. Mesmo com todas as consequências que sofremos com isso.

Todo a minha solidariedade ao presidente Lula. Ninguém está seguro mais neste estado de exceção, onde um bando de fascistas controlam a máquina estatal dos três poderes e são liderados pelo quarto poder (P.I.G.), contra todos que levantem a voz contra eles.

Nossa obrigação como cidadãos conscientes e conhecedores da história é registrar os fatos para deixar vestígios no amanhã contra a máquina totalitária de registro dos vencedores.

Estou com o corpo e a alma cansados, mas vamos fazer nosso papel social.

William
Cidadão de um Estado sem lei

Um comentário:

Unknown disse...

William, não esmoreça. A vontade popular que elegeu nossos companheiros Lula e Dilma está mais fervorosa do que nunca. Vamos para a rua defender nossas conquistas.