sábado, 11 de outubro de 2014

Eleições 2014 – Carta aos meus queridos familiares


O povo brasileiro elegerá no próximo dia 26 de outubro qual país queremos nos próximos anos para nossos filhos, familiares e amigos. Há dois projetos de país em disputa, projetos completamente antagônicos. Eu venho de uma família de origem muito simples e humilde – uma família típica da classe trabalhadora brasileira. Família que vive da venda de sua força de trabalho - proletários e subproletários. Não somos descendentes das famílias tradicionais proprietárias de terras, latifundiárias, de grandes empresários, do pequeno grupo de elite (cerca de 5%) que sempre explorou o povo desta terra como, por exemplo, as pessoas da minha família.

No dia 26 de outubro, o povo brasileiro, em sua imensa maioria gente como a minha família, que vive do trabalho, escolherá um dos dois projetos apresentados, o do PT ou o do PSDB, que representam esses dois segmentos de classe que falei acima.

POLÍTICA NÃO SE DISCUTE? CUIDADO COM OS “DITADOS POPULARES”!

Diz um ditado popular que “religião, futebol e política não se discute”. Como estudioso que sou de história, literatura e filologia, digo que esse ditado não é uma construção inocente. Ele foi criado pelos donos da Casa Grande (que eram donos das coisas e das pessoas), porque a política antes do povo conquistar seus direitos - faz poucas décadas - era decidida pelo voto censitário, só pelos proprietários brancos e donos de tudo. Eles diziam que mulheres, pobres brancos e mestiços, negros (escravos ou libertos) e outras minorias não deveriam votar.

Hoje, felizmente e com muita luta popular, o voto é direito de todos (e a elite chama de ignorante e mal informada a classe trabalhadora que vota nos projetos que defendem os seus interesses de classe). A classe dominante burguesa odeia a conquista do modelo eleitoral “Uma Pessoa, Um Voto”. Esse sempre foi o grande sonho de líderes pacifistas que defendiam mudanças em seus países através da política como, por exemplo, Nelson Mandela: “One Man, One Vote”.

Queridos familiares, que são inclusive amigos, eu peço que vocês leiam estas minhas palavras porque religião é algo da fé e é de cunho pessoal. Futebol também acaba sendo de cunho pessoal porque, quando vemos, já estamos com o coração capturado por algum time. Religião e futebol estão no campo da emoção, da subjetividade. Por outro lado, Política não! Política é algo da razão. Política é decisão pessoal de efeito coletivo para todos nós, principalmente da classe trabalhadora, que vivemos do trabalho. Ou seja, se o projeto de governo reduzir emprego e salário (como proposto pelo PSDB), o efeito de votar naquele projeto vai destruir nossa vida e nossa família. E nossa comunidade ou país.

O PROJETO DE DILMA (PT) É UM PROJETO DE E PARA A CLASSE TRABALHADORA

O projeto que Dilma Rousseff (PT) representa é o que tem como foco as dezenas de milhões de trabalhadores como os da minha família. O projeto que Aécio Neves (PSDB) representa é o dos latifundiários, banqueiros, donos de veículos de comunicação, famílias da alta elite, que vivem de renda e patrimônio sugando as riquezas do Estado Brasileiro há décadas. É por isso que me dirijo aqui aos meus familiares, pedindo a eles o voto e o apoio a Dilma Rousseff na eleição presidencial, é porque sou e estou na liderança da luta de classes há muito tempo e preciso dizer isso aos meus queridos familiares, gente que hoje se situa nas chamadas classes C, D e E. Gente que continua sendo o foco do projeto do Partido dos Trabalhadores.

PROJETO DE AÉCIO (PSDB) PROPÕE PREJUÍZOS PARA A CLASSE TRABALHADORA

Eu tomo a liberdade de me dirigir aos meus queridos familiares porque me desespera ver gente trabalhadora, que tem a mesma origem e classe que eu, dizer que vai votar no projeto de país do PSDB. Meus queridos, apesar da vida não permitir que tenhamos um contato maior, até porque trabalhamos muito e pouco tempo nos sobra para viver ao sabor do ócio, como os rentistas e proprietários fazem, devo lhes dizer que os projetos de Aécio, que são públicos, incluem várias propostas que serão uma tragédia para vocês que vivem do trabalho.

Aécio e Armínio Fraga propõem a redução do emprego, a redução dos salários e a redução dos direitos trabalhistas porque dizem que o povo está consumindo demais e que o Brasil teria que se igualar a países que exportam muito como, por exemplo, a China que não tem direitos sociais. Mas o Brasil se salvou da crise de 2008 justamente porque o governo concedeu crédito, manteve os níveis de emprego e o povo continuou consumindo. Foi crescimento interno que nos salvou!

Aécio e Armínio propõem a redução do crédito e do papel dos bancos públicos em benefício dos bancos privados como, por exemplo, Bradesco, Itaú e Santander. Na verdade, eles tentam esconder que o Banco do Brasil, Caixa Federal e o BNDES salvaram o país após a crise de 2008, salvaram a indústria e o comércio alimentando o crédito brasileiro em bilhões de reais. E olha que todos esses bancos continuam dando lucros ao governo porque o crédito ao povo e às indústrias e comércio brasileiros é bom para todos no país.

O projeto do PSDB inclui o aumento da taxa básica de juros, que no governo do PSDB entre 1994 e 2002 chegou a 45%, entregando a metade da riqueza do país para os 5% de famílias que vivem de renda, aquelas que citei acima. A desculpa é o controle da inflação, mas é mentira porque a média de inflação nos governos do PT é de 5,87% (2003-2013) e a média nos governos do PSDB é de 9,24% (1995-2002), mesmo dilapidando todo o patrimônio público nacional.

Então, não se deixem enganar pela imprensa que defende o projeto do PSDB.

FAMÍLIA TÍPICA DA CLASSE TRABALHADORA BRASILEIRA

Minha família, típica de gente simples da classe trabalhadora, se distribui no país principalmente nos estados de São Paulo, Minas Gerais, Goiás e Mato Grosso. Não é preciso dizer o quanto estão sob a influência pesada e claustrofóbica dos meios de comunicação tradicionais de TVs, rádios, revistas da Abril e jornalões, todos de algumas famílias bilionárias que usam esses veículos num massacre diário contra o PT e sempre escondendo as mazelas de seus favoritos do PSDB, DEM e apaniguados, visto que são representantes da mesma classe – a patronal.

Minha família tem trabalhadores braçais, como eu fui por muitos anos; tem aposentados que recebem aposentadorias corrigidas anualmente desde 2003 e que ficaram congeladas nos 8 anos de governo do FHC/PSDB; muitos recebem 1 (um) salário mínimo, que aumentou 72,31% acima da inflação nos governos do PT.

Minha família tem comerciantes pequenos e médios; agora temos estudantes universitários, inclusive negros (até os anos noventa não tínhamos). Temos vários primos formados. Minha família tem Pessoa com Deficiência (PcD); tem pessoas que amam das formas não tradicionais, rejeitadas pela direita conservadora que discrimina e criminaliza os homossexuais e segmentos LGBT. Minha família tem negros. Tem ex-bancários, tem advogados, enfermeira, funcionária de supermercado (que é cipeira) etc. Tive uma tia, a querida e saudosa Tia Alice, que foi gari da Prefeitura Municipal de Uberlândia.

Como podem ver, somos bem brasileiros. Nós não temos sobrenomes estrangeiros desses quatrocentões alemães, holandeses, franceses, italianos, ingleses etc (nada contra essas famílias, que fique claro). Só os sobrenomes tradicionais ainda oriundos dos exploradores portugueses. Não vou citar sobrenomes porque vou esquecer alguns.

POR QUE VOTAR EM DILMA (PT) E NÃO EM AÉCIO (PSDB)?

Por que peço para meus familiares da classe trabalhadora votarem no projeto de país representado pela candidatura de Dilma Rousseff, do Partido dos Trabalhadores? Porque é um projeto para eles, gente que vive do trabalho e que precisa continuar com as melhorias que lhes deram mais oportunidades na vida. Salários com poder de compra maior e políticas econômica e social que defendem o emprego, o crédito e programas que dão condições para trabalhadores terem casa própria, bens móveis e imóveis, comércio próprio ou profissão melhor com os avanços nas políticas sociais que Lula e Dilma implementaram.

Os aposentados ficaram os dois governos do PSDB sem reajustes sequer da inflação (foram chamados de vagabundos pelo presidente FHC). Meus tios aposentados precisam se lembrar disso, e os que não sabiam devem saber agora, porque parte deles se aposentou após a eleição de Lula em 2002.

SALÁRIO MÍNIMO NOS GOVERNOS DO PT CRESCEU 72,31% ACIMA DA INFLAÇÃO

Tenho tios que reclamam que seus salários diminuíram em número de salários mínimos. Eu explico isso, meus queridos. A política de redução dos gastos com aposentadoria empreendida pelos governos Fernando Collor e FHC nos anos noventa tinha como objetivo reduzir o gasto de 20 Salários Mínimos para no máximo 3 Salários Mínimos. O PSDB criou o famigerado Fator Previdenciário que destruiu o valor das aposentadorias para quem ganhava mais que 1 (um) Salário Mínimo. Agora os tucanos têm a cara de pau de falar que vão melhorar a vida dos aposentados! É impressionante como eles atuam para enganar nossos aposentados que tanto sofreram durante o tucanato!

O Salário Mínimo foi política prioritária do PT nesses 12 anos. Diferente do Salário Mínimo de 200 reais deixado em 2002 pelo PSDB, o Salário Mínimo dos governos Lula e Dilma do PT aumentou 72,31% acima da inflação entre 2003 e 2014 (indo de 200 para 724 reais). Essa foi a principal política para a classe trabalhadora e que mudou a história do país, junto com as políticas sociais voltadas para redução da miséria de mais de 50 milhões de pessoas, que viraram consumidoras dos produtos feitos pelos empresários (que não enxergam isso por preconceito de classe!).

Aliás, os analistas econômicos progressistas do Brasil e do mundo afirmam que isso salvou o país após a crise de 2008, onde o chamado 1º mundo quebrou. Os salários em governos tucanos são mínimos de verdade. Era 70 dólares nos anos de FHC/PSDB. Hoje é cerca de 300 dólares. Isso foi bom para os trabalhadores como os da minha família que ascenderam às classes C, D e E.

AS POLÍTICAS QUE AUMENTARAM O PODER DE COMPRA DO TRABALHADOR FORAM BOAS PARA MEUS FAMILIARES COMERCIANTES

Eu tenho familiares que têm comércio de roupas que dependem da população ter dinheiro para comprar em suas lojas; tenho primos protéticos que dependem do povo ter dinheiro para seguirem cuidando esteticamente de seus dentes (se reduzir o emprego e a renda em prol de banqueiros, como propõe o ministro Fraga que Aécio indicou, no aperto das famílias proletárias, a primeira coisa que a classe trabalhadora que ascendeu vai deixar de gastar é com estética e supérfluos); tenho tios e primos que vivem de vender produtos alimentícios, que também dependem de dinheiro na mão do povo para consumir.

Por que será que é tão difícil de alguns familiares meus entenderem isso?

A velha máxima de Marx explica isso: a ideologia dominante é a ideologia da classe dominante. 

Os meios de comunicação dessas famílias (os 5%) conseguem ter uma influência muito grande naquilo que as pessoas comuns dizem, comentam e repercutem diariamente. A classe trabalhadora passa a defender os interesses da classe dominante. (Que tristeza! Mas é assim que funciona!)

QUERIDOS FAMILIARES, PEÇO A REFLEXÃO E O VOTO DE VOCÊS

Finalizando, queridos familiares, peço que reflitam entre vocês em casa antes do dia 26 de outubro, e peço que não votem baseados no ódio que as TVs e veículos das famílias Marinho (Globo), Saad (Band), Civita (Veja e Abril), Mesquita (Estadão) e Frias (Folha) estão destilando 24 horas por dia na imprensa contra Dilma e o PT.

Esses bilionários têm lado e não é o de vocês meus queridos familiares trabalhadores. Esses empresários vivem de sugar o Estado brasileiro e estão massacrando nós todos, povo brasileiro, com uma pseudo-temática de corrupção que nunca foi tão combatida como nos últimos 12 anos de administrações do PT.

Nos governos do PT, as instituições que combatem a corrupção foram equipadas e modernizadas. A Polícia Federal, o Ministério Público, os tribunais em todas as instâncias podem investigar e condenar pessoas de qualquer partido. Nos governos do PSDB não se investiga ou investigava nada dos amigos, não se critica na imprensa (dos amigos) e tudo fica na corrupção feita, mas não falada.

Em SP e MG é proibido investigar nas assembleias legislativas e a imprensa não fica no pé dos governos amigos. Alíás, o governo do PSDB paulista compra com dinheiro público, sem licitação, por mais de 3 bilhões de reais, revistas e jornais da Abril, Folha e Estadão para serem distribuídos em escolas e repartições públicas. Vocês acham que esses veículos vão falar mal deles?

E a questão da Petrobras, então? É muita desfaçatez da imprensa golpista e dos tucanos falarem da Petrobras. O PSDB não conseguiu privatizar a Petrobras porque não deu tempo. Mas cometeu um crime de lesa pátria. Deu quase a metade das ações da nossa petroleira na Bolsa de Nova Iorque nos anos noventa. Mesmo assim, hoje a nossa empresa é fundamental para o Brasil e os royalties do Pré-Sal vão favorecer a Educação e a Saúde nas próximas décadas. Aliás, é necessário informá-los sobre o importante papel das empresas públicas  nas chamadas tarifas públicas administradas (e tinha muito mais antes do PSDB privatizar quase tudo nos anos noventa). Se a Petrobras não fosse utilizada para equilibrar a inflação e subsidiar preços públicos, o preço da gasolina poderia estar o dobro (se olhar apenas preço de mercado mundial). 

Esses golpistas estão construindo um golpe nos 15 dias antes da eleição divulgando vídeo sob segredo de justiça e fazendo palco da chamada delação premiada de um golpista demitido na Petrobras, funcionário de carreira por sinal, transformando palavras de bandidos confessos em "verdades" antes do julgamento para prejudicar a candidatura de Dilma do PT. É muita canalhice! Não se enganem com essa lavagem cerebral até 26 de outubro.

E a INsegurança pública tão falada nos veículos de comunicação? A segurança é dever e alçada dos Estados da República. Mas parece que nossa insegurança é culpa exclusiva do governo federal (do PT). O mesmo se dá com reforma tributária: o PT já mandou dois projetos para o Congresso, mas os Estados não permitem votar. Sabiam disso?

Queridos familiares, peço a vocês, com humildade e convicção de quem lida com a política e luta pela classe trabalhadora há muito tempo, os seus votos no projeto de país que defende a classe trabalhadora e não os exploradores da classe trabalhadora brasileira.

Abraços fraternos de quem luta diariamente por pessoas como vocês.


William Mendes de Oliveira

Filho da Dirce e do Palmério
Marido da Ione e pai do Mário Augusto
Irmão da Telma Lúcia e tio da Stefani e do Victor Hugo
Neto das falecidas vovós Deolinda e Cornélia
Sobrinho de muitos tios e primo de dezenas de primos brasileiros


Nenhum comentário: