domingo, 17 de abril de 2016

1984 é agora... É possível resistir à tortura totalitária?



A jovem Dilma Rousseff, que resistiu à tortura totalitária
e foi julgada sem crime nos anos 60/70 e hoje, 2016, enfrenta
com a mesma grandeza, o mesmo ataque totalitário e o
julgamento sem crime por parte de criminosos.
Não passarão!

" 'Se eu pudesse salvar Júlia dobrando a minha dor, seria capaz? Sim, seria.' Mas não passava de uma decisão intelectual, tomada por saber que devia tomá-la. Não a sentia. Naquele lugar não era possível sentir nada, exceto dor e presciência da dor. Além disso, era possível desejar, por qualquer motivo, que a dor aumentasse, quando já a sofria bastante? Era uma pergunta que ainda não podia responder..."

Instantes depois da primeira agressão que arrebentou o cotovelo de Winston com uma porrada de bastão:

"O guarda ria-se das suas contorções. Ao menos uma dúvida fora esclarecida. Nunca, por nenhuma razão, se poderia desejar que a dor aumentasse. Da dor, só se podia desejar uma coisa, que parasse. Nada no mundo era tão horrível como a dor física. Em face da dor não há heróis, não há heróis, ele pensou e tornou a pensar, torcendo-se no chão, segurando à toa o braço esquerdo invalidado."

(1984, de George Orwel, lançado em 1949)


COMENTÁRIO DO BLOG

Hoje, 17 de abril de 2016, um domingo, é um dia triste na história do nosso querido e amado Brasil.

Daqui a pouco começa no Congresso Nacional uma sessão símbolo da vergonha nacional. Um bando de parlamentares em parceria com o Grande Irmão Globo e demais mídias golpistas iniciam a votação para tentar a aprovação do impeachment da Presidenta Dilma Rousseff, do Partido dos Trabalhadores, reeleita em outubro de 2014 com 54,5 milhões de votos. 

Os golpistas haviam avisado que se o povo brasileiro votasse na reeleição do PT a presidenta Dilma não iria governar. E de fato, efetivamente, desde o resultado, empresários da comunicação (P.I.G.), da Fiesp e os partidos derrotados, liderados pelo PSDB, pararam o Brasil e a economia do país. Tiveram apoio importante de setores da justiça brasileira, tomada por pessoas que se comportam de forma partidária, em órgãos que deveriam ser imparciais e deveriam mediar divergências entre o executivo e o legislativo, mas sem tomar partido em disputas políticas.

A sessão do impeachment é liderada por uma corja de gente covarde, de gente acusada de corrupção de alto calibre, mas que está deixada livre e solta para comandar o golpe contra aquela que não tem crime algum. Pelo contrário, a presidenta tem em sua trajetória, uma história impecável de dedicação ao Brasil e aos brasileiros, lutando contra o regime de exceção da ditadura civil-militar dos anos 60/80, que afundou o país em um período tétrico para as liberdades e direitos civis, políticos e humanos. Não por coincidência, hoje são os mesmos grupos empresarias que arquitetaram aquele golpe de 1964 que lideram o Golpe de Estado em 2016.

Já nos anos de juventude, a hoje presidenta Dilma Rousseff, mãe, avó, senhora idosa, presidenta eleita, já na juventude enfrentou o atentado à sua honra, à sua vida. Foi presa sem crime, foi julgada sem crime, e pior, foi seviciada e torturada por covardes por trás de cargos e proteção de órgãos oficiais do Estado brasileiro. EXATAMENTE COMO HOJE SE REPETE.

Será que o 1984 de George Orwell será agora? Aquela história e aquele cenário totalitário do Grande Irmão, poderia ser o hoje totalitário cenário do Grande Irmão Globo/P.I.G./Temer/Cunha/Fiesp e setores fascistas da sociedade?

Vou pra rua agora, avolumar o lado de quem está a favor da democracia e do povo brasileiro contra esses golpistas liderados pelo Grande Irmão Globo.

Não passarão! Não vai ter golpe, e se tiver, vai ter luta!

William Mendes
Cidadão e defensor da democracia.


Post Scriptum (21/4/16):

O Golpe foi consumado. Os corrutos da Câmara, liderados pelo Eduardo Cunha, aprovaram por 367 x 137 a abertura do processo de impeachment da Presidenta Dilma Rousseff sem que ela tenha cometido crime algum de responsabilidade.

Minha esperança de que o povo brasileiro reagiria, e que se houvesse golpe, haveria luta, não se realizou. Ninguém invadiu o Congresso, ninguém iniciou a reação imediata no domingo mesmo e a semana já está terminando e o Grande Irmão Globo e demais golpistas seguem a vida corrupta deles normalmente.

O sistema de comunicação totalitário já cria clima diferente nos meios informativos e de lavagem cerebral sobre as etapas do novo momento do Brasil a se vencer, as reformas necessárias onde o povo é que vai se foder... enquanto isso, alguns tristes e outros felizes, curtem o feriado de 21 de abril.

As teletelas farão o serviço de apagar o passado, revisá-lo, para que o Grande Irmão Globo/P.I.G. sempre esteja certo em seus prognósticos e previsões

Minha dúvida é quando começarão os grandes expurgos, onde nós que éramos contrários ao golpe seremos vaporizados.

Talvez venha aí a pax dos túmulos.

Que dizer? Sem palavras.

William

Nenhum comentário: