quinta-feira, 25 de setembro de 2008

Ensaio sobre a cegueira: frases selecionadas




- Se podes olhar, vê. Se podes ver, repara. (livro dos conselhos)

- É desta massa que nós somos feitos, metade de indiferença e metade de ruindade.

- Quantos cegos serão precisos para fazer uma cegueira.

- Se queres ser cego, sê-lo-ás.

- O medo cega.

- O medo cega... são palavras certas, já éramos cegos no momento em que cegámos, o medo nos cegou, o medo nos fará continuar cegos.

- Alguns irão odiar-te por veres, não creias que a cegueira nos tornou melhores, Também não nos tornou piores.

- A cegueira também é isto, viver num mundo onde se tenha acabado a esperança.

- Água mole em brasa viva tanto dá até que apaga, a rima que a ponha outro.

- A força e a natureza das circunstâncias influem muito no léxico.

- Mas quando a aflição aperta, quando o corpo se nos desmanda de dor e angústia, então é que se vê o animalzinho que somos.

- Dentro de nós há uma coisa que não tem nome, essa coisa é o que somos.

- É que vocês não sabem, não o podem saber, o que é ter olhos num mundo de cegos.

- Costuma-se até dizer que não há cegueiras, mas cegos, quando a experiência dos tempos não tem feito outra coisa que dizer-nos que não há cegos, mas cegueiras.

- Por que foi que cegámos, Não sei, talvez um dia se chegue a conhecer a razão, Queres que te diga o que penso, Diz, Penso que não cegámos, penso que estamos cegos, Cegos que vêem, Cegos que, vendo, não vêem.


Bibliografia:

SARAMAGO, José. Ensaio sobre a cegueira. Companhia das Letras. 24º reimpressão, 2002.

6 comentários:

Anônimo disse...

Por que foi que cegámos, Não sei, talvez um dia se chegue a conhecer a razão, Queres que te diga o que penso, Diz, Penso que não cegámos, penso que estamos cegos, Cegos que vêem, Cegos que, vendo, não vêem.


Podem-me explicar melhor esta citação por favor.

William Mendes disse...

Olá leitor, tudo bem?

Para além da estória contida na obra, há nela toda uma crítica ao mundo contemporâneo e à sociedade humana em que vivemos.

Esta é uma das dezenas de frases ácidas contidas no "Ensaio" sobre a cegueira em que nós vivemos diariamente.

Com todo o conhecimento acumulado pelo ser humano disponível hoje na rede mundial, estamos cada vez menos inteligentes.

Tudo virou acúmulo de informação e ninguém pensa sobre ela, só a detém, mas não sabe o que fazer com ela.

Estamos acabando com o planeta em que vivemos, o único no universo com condições de abrigar vida e não enxergamos isso e mudamos o rumo de nosso destino.

Estamos cegos, mesmo vendo com esses nossos olhos, estamos vendo e não estamos enxergando o que estamos fazendo e pra onde estamos indo.

O livro é uma metáfora sobre isso.

Abraços,

Anônimo disse...

Muito bom ! Ajudou bastante .

Mafalda disse...

Saramago era um génio! E quem não tem capacidade para atingir isso, chama-o de louco. Sabem de nada esses inocentes...

JOHNNY disse...

Alienacao

Anônimo disse...

É um diálogo. Saramago usa vírgula no lugal do ponto final. Cada letra maiúscula marca o início de uma frase do diálogo. Simples. Saramago escreve assim.