quinta-feira, 30 de outubro de 2008

Antonio Candido - Formação da Literatura Brasileira (2)

Lendo o prefácio à segunda edição, nota-se o reforço feito pelo autor no objetivo principal da obra:

"Ora, o presente livro é sobretudo um estudo de obras; a sua validade deve ser encarada em função do que traz ou deixa de trazer a este respeito."
E ele completa mais adiante:

"... encarar este livro como uma espécie de vasta teoria da literatura brasileira em dois volumes, à maneira do que fizeram alguns, é passar à margem da contribuição que desejou trazer para o esclarecimento de dois dos seus períodos."

Antonio Candido defende a tese da literatura como sistema:

"Mas há várias maneiras de encarar e de estudar a literatura. Suponhamos que, para se configurar plenamente como sistema articulado, ela dependa da existência do triângulo 'autor-obra-público', em interação dinâmica, e de uma certa continuidade da tradição."

Outra idéia importante defendida por Candido é de que a nossa literatura, bem como as demais latino-americanas, é uma literatura empenhada:

"Quero me referir à definição da nossa literatura como eminentemente interessada. Não quero dizer que seja 'social', nem que deseje tomar partido ideologicamente. Mas apenas que é toda voltada, no intuito dos escritores ou na opinião dos críticos, para a construção duma cultura válida no país... A literatura do Brasil, como a dos outros países latino-americanos, é marcada por esse compromisso com a vida nacional no seu conjunto, circunstância que inexiste nas literaturas dos países de velha cultura."

Nenhum comentário: