domingo, 1 de novembro de 2015

O Brasil virou o cenário do processo kafkiano



Brasil virou cenário d'O processo...

Refeição Cultural

"Alguém devia ter contado mentiras a respeito de Joseph K., pois, não tendo feito nada de condenável, uma bela manhã foi preso..." (O processo, Franz Kafka)


Assim começa uma das obras mais interessantes da literatura mundial. O processo, do escritor tcheco Franz Kafka (1883/1924), é obra de referência inclusive por ter dado nome a uma expressão popular "processo kafkiano" para algo absurdo que aconteça com um cidadão, algo impossível de acontecer por ir contra o sentido normal de respeito aos direitos de uma pessoa quando lida com o Estado/Sistema e coisas do gênero.

Quando nós escrevemos e falamos nos últimos anos sobre os riscos existentes em se abrir a Caixa de Pandora no Brasil, riscos motivados pela perda de limites em relação ao respeito mútuo entre a classe política e lideranças sociais, tendo como consequência o aumento das agressões recíprocas nas eleições presidenciais de 2010, disputadas entre Dilma Rousseff (PT) e José Serra (PSDB), estávamos prevendo que, ao se estimular a barbárie na sociedade civil, seria difícil se controlar o que viria depois.

A chamada "oposição" aos governos do Partido dos Trabalhadores, que ascendeu ao poder com Lula em 2002, sendo Lula reeleito em 2006 e elegendo sua candidata Dilma Rousseff em 2010, essa "oposição", liderada pelos tucanos e pelos grupos mais à direita e reacionários do país, mas tendo como um dos pilares de sustentação as famílias donas dos meios de comunicação brasileiros - grupos Globo, Folha, Estadão e Abril -, essa "oposição" é responsável, na minha opinião, pelo avanço da intolerância entre o povo brasileiro e pela destruição do pouco de imparcialidade e igualdade que pudesse existir no Estado brasileiro em relação ao trato com os estratos sociais menos privilegiados - pobres e minorias em geral - por parte dos órgãos oficiais da chamada democracia e sua estrutura burguesa: Judiciário e sua estrutura e legislativo federal, que elegeu a bancada mais retrógrada na concepção, canalha na índole e reacionária na questão de direitos populares das últimas décadas.

Com a 4ª derrota da "oposição" para o PT de Dilma Rousseff em 2014, e já havia sido assim com a derrota da "oposição" na 3ª disputa presidencial com o PT de Lula em 2010, acelerou-se a estratégia de caça às lideranças do PT e da esquerda aliada ao Governo Federal. Após as manifestações de junho de 2013, utilizadas e manipuladas pelas máquinas e veículos de comunicação dessa "oposição" para atacar o Governo Dilma e criminalizar o Partido dos Trabalhadores e suas lideranças, entramos numa nova fase do foco opositor na aniquilação e extinção do partido, das conquistas do povo brasileiro advindas com os governos do PT após 2003 e, neste momento em que escrevo, esta história está sendo escrita e vivida por todos nós.

A ascensão do partido nazista em 1933 e o período de Hitler na Alemanha do 3º Reich usou da mesma estratégia ao disputar a hegemonia dos corações e mentes de um povo, o povo alemão. Aqueles anos 20/30 viviam a novidade dos meios de comunicação de massa com rádio e cinema e os governos e donos do poder se utilizaram rapidamente daquela máquina de manipulação de consciências das populações em seus países.

PREGAR O ÓDIO e CULPAR O PT hoje através da máquina da "oposição" aos governos do PT são os mesmos eixos da estratégia de Hitler em meio a crise econômica da época (pós crash de 1929), exatamente como ocorre no mundo hoje (pós crash de 2008). PREGAR O ÓDIO E CULPAR OS JUDEUS foram os eixos estratégicos nazistas ao alimentar o ódio no povo alemão e escolher como culpados por tudo o povo judeu. O resultado da política nazista deu no que deu: Holocausto. Eu nunca me esqueci da frase do ex-senador por Santa Catarina, Jorge Bornhausen (ARENA>PFL>DEM>PSD), que em 2006, pregou a seguinte frase: "precisamos acabar com essa raça", se referindo aos políticos de esquerda e especificamente ao Partido dos Trabalhadores e simpatizantes. 

Que diriam os incrédulos mais à esquerda e progressistas que a caça ao PT e petistas, menos de uma década depois, seria um processo real? A insanidade tomou conta do cotidiano das pessoas e do país. O massacre midiático, cínico, mentiroso, leviano, tirou a noção e o bom senso dos cidadãos. Agora uma corja de corruptos e corruptores históricos fazem passeatas acusando o Governo Federal e o PT e os meios de comunicação da "oposição" estampam ilações quase no sentido de dizer ao cidadão comum: cace um petista! 

Estamos vivendo praticamente o processo nazista do 3º Reich no Brasil. E eu diria que o processo de acusações e ilações às lideranças petistas é kafkiano. Se é para atacar e destruir o Governo Dilma ou Lula - a maior liderança popular do país -, ou suas lideranças regionais e destruir o PT, vale qualquer coisa! Prender sem provas, escrever qualquer merda, ilação ou suspeição em TODOS os veículos de comunicação (PIG) porque pertencem ao mesmo grupo "oposição" e por aí vai.

E o pior e mais parecido com o clima da Alemanha nazista dos anos trinta e dos processos kafkianos das vítimas contra o totalitarismo desses sistemas é que OS CIDADÃOS COMUNS NÃO FAZEM NADA E TODOS LEVAM SUAS VIDAS NORMALMENTE. 

A iniquidade está virando a regra. A injustiça e o tratamento desigual dos órgãos oficiais do Estado estão virando a regra. E aí estamos caminhando para o fim da democracia.

Estamos vivendo a HISTÓRIA. E é a história de amanhã da ascensão do fascismo no Brasil.

William Mendes

Nenhum comentário: