domingo, 14 de fevereiro de 2016

Burguesia brasileira quer pulverizar conquistas sociais da era petista




Burguesia vira-latas e fascista opera para apagar a história de conquistas do povo brasileiro durante os governos do Partido dos Trabalhadores


Domingo de Sol na capital paulista.

É muito duro conter a ira e nossos instintos mais agressivos quando vemos em operação em nosso querido Brasil um processo iníquo e sem verdades factuais para apagar o período de maiores avanços para a classe trabalhadora a qual nós pertencemos. Aliás, se considerar a máquina midiática fascista de alimento ao ódio, totalitária a ponto de não conseguirmos nos isolar do massacre midiático, até que administro muito bem meus sentimentos de raiva a tudo isso contra o meu povo e a minha classe social.

Na minha opinião de militante de esquerda e ex-dirigente sindical, um dos maiores erros dos governos do Partido dos Trabalhadores foi não enfrentar e acabar com o monopólio de toda a comunicação brasileira mantida na mão de poucas famílias bilionárias que manipulam os 200 milhões de cidadãos deste país, famílias que têm na sua história cinco séculos de manipulação a favor da miséria do povo, onde herdeiros do período colonial, capitães hereditários e famílias do entorno ao poder desde o Império, República Velha e Nova - uma porcentagem pequena de brancos ou descendentes destes -, detêm tudo, meios de produção, de comunicação, todos os espaços da política, ainda hoje baseada no poder do "voto censitário": financiamento privado de campanhas.

Essa é a máquina social dos poucos detentores do poder real, onde o público e o privado nunca se diferenciaram, não é à toa que a política de tratamento para os pobres, os negros, os excluídos, trabalhadores revoltados com a miséria e outras minorias sempre foi a polícia dessas burguesias, a "lei". A lei foi feita para manutenção do status quo e não para fazer justiça social no país Senzala, quintal dos imperialismos. Com essa estrutura, onde nós não tivemos quase direito algum, convivem dezenas de milhões de macunaímas, riobaldos tataranas, policarpos quaresmas, fabianos retirantes como o próprio Lula. Gente miserável que, na virada do século e milênio, passou a ser a prioridade dos governos federais do Partido dos Trabalhadores.

O PT tem em sua gênese, a ideia de conquistar espaços de poder nesta estrutura viciada que foi feita para a Casa Grande nos cinco séculos de construção desta Senzala Brasil, quintal dos impérios. O PT nunca foi revolucionário. Foi se moldando para conquistar espaços nos parlamentos municipais, estaduais e federal. Depois galgou o poder executivo em algumas prefeituras e estados. Depois de longo caminho, o maior líder do partido, o metalúrgico retirante Luiz Inácio Lula da Silva chegou ao poder e os números mostram que nós, povo brasileiro proletário e humilde, que vive do trabalho e não de herança e rendas, tivemos uma ascensão histórica em pouco mais de uma década de governos do PT. E olha que em termos econômicos, uma década é muito pouco para efeitos de medidas econômicas e sociais de um governo.

Os dois mandatos do metalúrgico e retirante nordestino Lula da Silva e os dois mandatos da mulher Dilma Rousseff, que integrou grupos revolucionários em defesa da democracia no Brasil durante o período de governos ilegais e ditadores, não focaram a mãe das batalhas - A REGULAMENTAÇÃO DA MÍDIA E O FIM DO MONOPÓLIO NAS COMUNICAÇÕES, visto que ao final dos anos noventa e início do século XXI, o mundo se tornaria um mundo virtual.

A era das comunicações instantâneas, da revolução cultural das redes sociais e da geração "cara na tela" não são nada mais do que consequências culturais advindas com as mudanças e fases do sistema hegemônico capitalista. Sociólogos como o americano Richard Sennet dizem que vivemos a era do Capitalismo Flexível, que tem como um de seus efeitos uma geração com a visão de mundo de curtíssimo prazo, a qual ele atribui um certo comportamento sem compromissos com laços históricos de ética e caráter. Ele descreve isso em seu livro "A corrosão do caráter".

Os governos do PT não enfrentaram a mãe das batalhas. Tirar o poder de meia dúzia de famílias que fazem o que bem entendem há décadas com a vida, com o comportamento, com o cérebro de nossa classe trabalhadora, da tenra infância até nossos últimos dias de vida. Esse é o maior crime do metalúrgico presidente Lula da Silva. Não ter enfrentado o monopólio da mídia. 

Hoje, vemos idosos, gente com cara de boazinha, adolescentes, pobres, remediados e abastados, virarem bichos com ódio reproduzindo como papagaios aquilo que se pauta na mídia totalitária de poucos donos, acusações e criminalizações a partir de ilações, montagens falsas, ataques ilegais e que sequer respeitam a constituição brasileira. Há uma canalhice no ar, há uma hipocrisia instalada. Boa parte das pessoas sabe que o que Globo, Estadão, Folha, Editora Abril e seus veículos de TV, rádio, internet e papel estão fazendo é mentira, mas como os atacados já foram coisificados, não são mais gente ou instituições, são petistas, são do "governo", não tem problema fazer todo tipo de sacanagem: a população aceita o jogo.

Para nós que gostamos de história e conhecemos um pouco das engrenagens dessa máquina totalitária, porque ela é repetição histórica, afirmo a vocês que não há nenhuma diferença para o que fez a máquina nazista desde a ascensão de Hitler em 1933 e o período do Terceiro Reich. O povo alemão gastou décadas após o fim do nazismo para se livrar da linguagem do 3º Reich.


PROGRAMAS DO PT MELHORARAM A VIDA DO POVO, MAS NÃO TOCARAM NO PODER DAS FAMÍLIAS DONAS DAS COMUNICAÇÕES

Os programas e projetos dos governos Lula e Dilma fizeram de tudo pelo povo pobre e trabalhador brasileiro. Até meados de 2013, os programas do governo mantiveram as conquistas sociais do povo, que compunha até então, a maior quantidade histórica de brasileiros nas faixas de renda a que chamam "classe média" (eu não gosto deste conceito). Programas de governo revolucionários por sinal, visto que mudaram em pouco mais de uma década a vida de dezenas de milhões de brasileiros. Querem que citemos alguns:

- Bolsa Família
- Luz para Todos
- Minha Casa, Minha Vida
- Mais Médicos
- Maior Salário Mínimo em décadas
- PAC e Pré-Sal
- PróUni e Fies
- Política de cotas
- Criação da CGU e todo o aparato contra a corrupção
- Criação de milhões de empregos por fortalecer a produção e comércio nacionais

Pois é, mas se tem uma coisa que não mudou na era de governos do PT é o fato de qualquer tapera, qualquer casa de pau-a-pique, todos os butecos e hall de hotéis, lugares abertos ao público, desde a comunidadezinha lá no meio dos rios da Amazônia, e também em todos os grandes centros, em todos os lugares desta terra ainda vista pela burguesia vira-latas brasileira como Senzala Brasil, em todos os pontos do nosso querido Brasil, quem pauta o que esses 200 milhões de brasileiros vão ter que ver, falar, pensar, comentar, opinar, respirar, ouvir, AD NAUSEAM, é o que produz como fonte de informação de massa, as famílias Marinho, Civita, Mesquita e a família Frias.

O cenário que entramos é o de uma sociedade distópica, caótica, irreal e bárbara, é semelhante ao "1984" de George Orwell e também ao "Admirável Mundo Novo" de Aldous Huxley. A tela, ou o jornal, ou a revista, ou as ondas de rádio, ou as fontes do que o pessoal compartilha nas redes sociais, automaticamente, sem nenhuma necessidade de verificação da veracidade, se espalha e entra por nossos poros. Não há onde se esconder. Se você está em férias e quer se desligar, juro, você vai chegar no meio de um mundo isolado e vai ter uma TV ligada com os fascistas da Globo falando ali naquele buraco de mundo... "poder imagético da verdade..."

Esse foi o maior crime que cometeram os governos do Partido dos Trabalhadores nos dois mandatos de Lula da Silva e nestes mandatos de Dilma Rousseff.

Essa mídia totalitária conseguiu estragar as gerações atuais com um ódio nunca visto no Brasil. Qualquer que seja o final desta história da Senzala Brasil, levaremos décadas para resgatar nossas gerações do ódio criado por um grupo que não soube e jamais aceitaria, perder um pouquinho do poder total da terra de exploração chamada brazil.

William Mendes
Cidadão brasileiro

Nenhum comentário: