sábado, 24 de setembro de 2016

Dez propostas para minha candidatura a Presidência do Brasil





1. MEIOS DE COMUNICAÇÃO - Novo marco regulatório. Revisão imediata de todas as concessões de canais de TV e rádio, com desapropriação sem indenização de toda a estrutura utilizada pelos antigos donos. Abertura de licitação com regras rígidas para novas concessões, impedindo propriedade cruzada e possibilidades de monopólios ou cartéis de comunicação. Haverá espaço demarcado para veículos de comunicação públicos e privados, com valorização de espaços e programações locais e de comunidades, ambos com controle social. Marco regulatório severo para meios midiáticos impressos, com controle social representado por diversos segmentos da sociedade. Ampliação da conexão gratuita de internet para toda a cidadania, financiada pelo Estado.


2. SISTEMA FINANCEIRO NACIONAL - Estatização do Sistema Financeiro Nacional. Os bancos privados passarão ao poder público, sem indenização alguma aos antigos donos. As definições dos objetivos e funcionamento do sistema se darão a partir de fóruns estabelecidos com ampla participação dos diversos setores da sociedade. Ampliação da bancarização da população e do crédito, com empregos bancários, sem terceirização, e com teto de juros definido em lei.


3. PROPRIEDADE DA TERRA - Reforma agrária e urbana amplas, acabando com os latifúndios, as grandes propriedades e as possessões de imóveis urbanos. Todas as terras e imóveis que não se enquadrarem nas limitações estabelecidas serão desapropriados sem indenização aos antigos latifundiários e grandes proprietários de imóveis. O tamanho máximo das propriedades rurais será definido em fóruns nacionais com participação dos diversos setores da sociedade. Não será mais permitido no país que poucos cidadãos detenham dezenas, centenas e milhares de imóveis rurais e urbanos para especulação e exploração de áreas que devem atender à toda a sociedade. É proibida a aquisição de terras e imóveis por estrangeiros. ou capitais estrangeiros.


4. SAÚDE E PREVIDÊNCIA PÚBLICAS - Fortalecimento do Sistema Único de Saúde (SUS) com ampliação do investimento público via impostos progressivos, onerando mais quem tem renda e patrimônio maiores e desonerando a classe trabalhadora de forma progressiva; fim da mercantilização na área da saúde brasileira; Destinação de 50% dos recursos do Pré-sal para a saúde. Todo o sistema de saúde será voltado ao atendimento da população brasileira, sem discriminação de qualquer tipo, e com criação de conselhos de usuários em todos os níveis para controle social. A Previdência Pública será fortalecida, os grandes sonegadores serão autuados imediatamente, os direitos de aposentadoria da classe trabalhadora serão preservados, e serão revistas as aposentadorias de grandes valores e acumuladas, de todos, inclusive de agentes públicos, empresários, juízes e políticos.


5. FORMAÇÃO EDUCACIONAL E POLÍTICA - Fortalecimento do sistema público de educação em todos os níveis, com a garantia de 10% do PIB em recursos para a educação; fim do cartel de fornecimento por parte das empresas privadas dos materiais de educação, em todos os níveis; as grades educacionais serão garantidas em lei e com ampla participação dos setores de representação da educação e segmentos sociais; destinação de 50% dos recursos do Pré-sal para a educação; fortalecimento do Fórum Nacional de Educação; valorização dos profissionais da educação em todos os níveis; ampla participação social de todos os segmentos para democratização da educação.


6. VALORIZAÇÃO DO MUNDO DO TRABALHO - Redução da jornada de trabalho para 40 horas*; proibição da terceirização no país; instituição do Salário Mínimo calculado pelo Dieese; criação de políticas de fortalecimento da geração de mais e melhores empregos e distribuição de renda a partir do trabalho, inclusive na política das metas fiscais e econômicas dos governos; imediata aplicação das convenções da OIT no Brasil; ampla participação social em fóruns sobre definições do mundo do trabalho. Reforma sindical com fim de impostos obrigatórios e fortalecimento da democracia e participação dos trabalhadores nas decisões; fim do imposto sindical para o setor empresarial (acho que o povo nem sabe que isso existe).

*Post Scriptum: imaginem vocês que eu estava sendo conservador e pouco prático em meu programa ao defender a redução da jornada somente para 40 horas. Ouvindo aos clamores de nossos eleitores, altero a plataforma para uma jornada brasileira máxima de 30 horas de trabalho. E tenho dito!


7. SEGURANÇA PÚBLICA - Imediata desmilitarização da polícia dos Estados. Integração e reorganização dos sistemas de segurança pública, em todos os níveis, ampliando setores de investigação para solução de crimes; maior foco na segurança dos cidadãos em detrimento do patrimônio; organizar um sistema de segurança voltado aos interesses da sociedade, com respeito a todos os seus segmentos e com reorientação severa a partir dos princípios internacionais de direitos humanos.


8. REFORMA TRIBUTÁRIA - Ampla reforma tributária, mudando a lógica do sistema brasileiro de arrecadação, criado pelas elites conservadoras para cobrar impostos da parte de baixo da pirâmide social - a classe trabalhadora -, permitindo que os detentores dos grandes patrimônios e altas rendas não paguem quase nada ao fisco. O país passará a ser financiado de forma progressiva, quem ganha mais e tem mais patrimônio, vai pagar mais, desonerando o setor produtivo e a classe trabalhadora conforme a faixa salarial. Haverá taxação sobre grandes fortunas, sobre o lucro e sobre heranças. Distribuição de Renda Mínima a todo o povo brasileiro, calculada a partir da apuração do PIB anualmente, diminuindo as diferenças na distribuição das riquezas geradas por todos no país.


9. TRANSPORTE PÚBLICO - Fortalecimento de todos os tipos de transportes coletivos, em nível municipal, estadual e nacional. Transporte público gratuito nas cidades, subsidiado por um sistema de impostos progressivos da cidadania. Ampliação do transporte sob trilhos em todos os níveis - municipal, estadual e nacional. Incentivo aos transportes alternativos e não poluentes como as bicicletas. Tanto neste eixo do transporte como nos demais, será dada atenção especial em relação ao desenvolvimento sustentável, com cuidado ambiental e valorização dos espaços nas urbes com foco nos cidadãos e na coletividade.


10. PARTICIPAÇÃO POLÍTICA E CONTROLE SOCIAL DOS 3 PODERES - Reforma Política com fim do financiamento empresarial, com fortalecimento de partidos políticos programáticos e votação em listas partidárias; definição de políticas afirmativas para os 3 poderes para garantir a representação isonômica de todos os setores sociais do país nestes órgãos definidores da vida do povo brasileiro; instituição de conselhos nacionais e controle social rígido sobre os três poderes brasileiros - o Executivo, o Legislativo e o Judiciário; revisão completa do sistema.


SERÁ QUE CONSIGO SER ELEITO COM ESTA PLATAFORMA? (AHNN?)

E aí, nas condições atuais de propriedade dos meios midiáticos e na forma como funciona os 3 órgãos do poder e nas regras eleitorais atuais, será que eu tenho chance de ser eleito nas próximas eleições presidenciais em nosso querido país Brasil?

... já sei, vocês fizeram careta ou deram risada ou me chamaram de louco na leitura de cada proposta feita...


POIS É...

Apesar da brincadeira, gostaria que refletissem um pouco.

Com o Golpe de Estado aplicado em 2016 em nosso país, está acontecendo exatamente essa loucura que vocês sentiram ao ler minhas propostas acima. Só que de forma inversa.

A plataforma da direita vira-lata nazifascista brasileira, mesmo que escondida ou disfarçada em palavras amenas nas eleições, não foi eleita nos últimos 4 pleitos para a Presidência da República, e a intenção antes inconfessável dos grupos que organizaram o golpe era implantar o inverso de tudo que eu propus acima. 

Os poucos donos de todos os meios de comunicação, que atuam como partidos políticos (P.I.G.), com os empresários, latifundiários, rentistas, partidos de oposição derrotados nas eleições e parte dos órgãos dos 3 poderes tomados por esse grupo, cansaram de perder eleições para a maioria do povo brasileiro...

Neste momento, após a derrubada da presidenta sem crime Dilma Rousseff (PT), eleita com 54,5 milhões de votos, está sendo implantada a toque de caixa pelos golpistas uma plataforma lesa-pátria, destruidora de nossa nação e dos direitos trabalhistas e previdenciários (sociais), políticos, civis e humanos, destruindo os direitos para o hoje e para as gerações futuras.

É preciso que algo seja feito pelo povo brasileiro para impedir e reverter o que está ocorrendo em nosso querido Brasil.


William Mendes
Cidadão do país vitimado por Golpe de Estado

quinta-feira, 22 de setembro de 2016

Lava Jato - A banalização do mal



Judeus como ratos. Cartaz nazista 1939.

"Não há uma vox populi [voz do povo], mas voces populis [vozes do povo]. A verdadeira é aquela que determina o rumo dos fatos, o que só podemos perceber a posteriori. Nem dá para afirmar, com segurança, se todos os que riram ou se indignaram com as mentiras descaradas de Goebbels permaneceram imunes a elas. Durante o período em que fui professor em Nápoles, quantas vezes ouvi dizer de tal ou qual jornal è pagato [é pago], ou seja, mente para agradar a quem o controla. No dia seguinte, as mesmas pessoas que tinham gritado Pagato! acreditavam de pés juntos em outras mentiras publicadas no mesmo jornal. Por quê? Porque eram publicadas com letras graúdas e outras pessoas acreditavam nelas..." p.339 (Victor Klemperer, in LTI - A Linguagem do Terceiro Reich)


Quando acordei nesta quinta-feira, 22 de setembro de 2016, fui dar uma passada de olhos nas notícias antes de iniciar mais um dia de trabalho e de luta. O destaque na imprensa era a prisão do ex ministro Guido Mantega por uma tal de operação "Arquivo X" daquela coisa chamada Lava Jato.

Os poderosos e intocáveis agentes do estado policial, os homens de preto da PF, cumprindo o seu dever com estrita diligência, atendendo à 34ª operação da Lava Jato, foram até o Hospital Albert Einstein em SP e levaram preso um senhor cidadão brasileiro que acompanhava a cirurgia de sua esposa, que luta contra o câncer. (que ironia, um hospital de judeus!)

Trago nesta postagem, referências ao Nazismo, à teoria da Banalização do Mal de Hannah Arendt, aos ensinamentos de Victor Klemperer, um filólogo judeu alemão, sobrevivente do Holocausto, e que registrou em seus diários todos os fatos cotidianos na Alemanha do 3º Reich, desde 1933 até a queda de Hitler e do Nazismo em 1945.

Hannah Arendt ficou chocada, impressionada, ao assistir ao julgamento em 1961 de Adolf Eichmann, e publicou diversos artigos registrando a "Banalidade do Mal".

Segundo ela (assisti ao filme, ler postagem AQUI), o que viu ali foi a forma cotidiana com que o mal se instalou na Alemanha de Hitler, ao ver um funcionário público, um operador de trens, explicando que tudo que fazia era cumprir o seu dever estatal, ele colocava os judeus nos trens, contava, anotava, e despachava o trem. Era o seu dever de ofício. Não era problema dele para onde os trens estavam levando aquela multidão de judeus, comunistas, ciganos etc.

Os homens de preto do estado estatal golpista só estão fazendo o dever deles. Que importa levar Lula de forma coercitiva sem sequer convidá-lo a ir a PF? Que importa levar Mantega preso de dentro de um Hospital, acompanhando a esposa que luta contra um câncer, em cirurgia?


TRISTEZA POR NÃO VER NO HORIZONTE PERSPECTIVAS DE VOLTA DA DEMOCRACIA

Estou com lágrimas nos olhos por indignação e de tristeza ao ver em nosso país ser instalado um regime estatal totalitário desumano e impiedoso para exterminar os adversários ao sistema instalado de forma golpista, um estado com máquina estatal totalitária e de difícil enfrentamento no âmbito da legalidade e da paz civil, porque as instituições da "legalidade" fizeram parte do golpe. 

Tudo o que defendi ao longo de décadas de lutas em minha vida não tem mais sentido. Instalou-se a injustiça, a iniquidade contra os adversários dos golpistas.

Acreditar na democracia e no voto popular? "One man, one vote", como foi a campanha de Mandela na África do Sul? Eu mesmo, desde adolescente, fui educado para acreditar que no voto a gente mudava as coisas. Votei na legenda do PT desde o primeiro voto aos 18 anos.

A democracia acabou aqui e se instalou um estado totalitário de aniquilamento do adversário, no caso, o PT, de Lula, de Dilma, dos líderes dos movimentos sociais contrários ao golpe. Todos seremos aniquilados, é uma questão de tempo e prioridades. Todos que somos contrários ao que foi implantado. Nas fases seguintes ao aniquilamento do Partido dos Trabalhadores, virão os sindicatos, a CUT, as entidades de estudantes e dos movimentos sem terra, sem teto. Tudo através de processos kafkianos com milhões, milhões, milhões desviados... mas divulgados e combinados com o Grande Irmão Globo e P.I.G...  

E ao mesmo tempo, como usa ser na história das sociedades, as massas bovinamente manipuladas seguirão suas vidas com pão e circo, com lamúrias, com dificuldades, com mortes miseráveis aos milhares, às vezes culpando até deus por ser assim mesmo... mas invisíveis aos sistema oficial das teletelas, transmitido através dos fazedores de manchetes e donos de TODOS os meios comunicativos.


Veja insinua fazer com Lula o que fizeram com Gaddafi?

"No psiquismo de cada pessoa culta há uma porçãozinha de alma que é povo. Em algum momento minha acuidade crítica não será capaz de me defender das mentiras - a qualquer momento serei dominado pela mentira que me bombardeia por todos os lados, quando deixarem de existir à minha volta aqueles que ainda duvidam da mentira, inicialmente poucos, cada vez menos, até desaparecerem todos..." p.340 (Victor Klemperer)


Que importa se é verdade ou mentira todas essas invenções do comandante supremo do brazil-colônia, um juiz de primeira instância? Que diferença faz se há provas ou somente "convicção" para destruir os adversários da maneira mais humilhante e degradante possível? Aliás, vivemos no regime totalitário que "cria" provas também. Pega um réu confesso, um bandido, e pede para ele acusar o adversário. Ele sai livre, com o produto do roubo e a vida segue feliz.

Quando eu li pela manhã a matéria no UOL da Folha Ditabranda, com informações do novo estado-maior brasileiro, falando que o Guido Mantega está envolvido com milhões, milhões e milhões disso e daquilo... a forma burocrática como a máquina estatal de aniquilamento dos adversários constrói a coisa é tão impressionante que, ao ler, a gente vai se perguntando se o Mantega fez aquilo mesmo! Poxa, que cara do mal, heim! Tem que morrer nas masmorras lá do Castelo de Curitiba.

Enquanto isso no brazil-colônia do Grande Irmão, os leigos e cidadãos comuns vão levando suas vidas... ontem teve rodada de futebol, deve estar o maior comentário... hoje tem momentos decisivos na novela da Globo, a novela do Velho Chico...


Alguns de nós, as lideranças dos movimentos sociais, sabemos o que está em andamento, o aniquilamento do maior partido de centro-esquerda da América-Latina, o PT, seus líderes e as entidades representativas com proximidade e afinidade. Tudo televisionado pelo P.I.G, pelos arquitetos do golpe e do fim da democracia. E é por eles que o povo fica sabendo das notícias. E a versão é deles. Mais um rato preso... RATO! Nós somos ratos, não humanos. Já fomos coisificados pela máquina do Grande Irmão.

O 3º Reich convenceu todo o povo alemão, povo simples, erudito, técnico, científico, do campo, da cidade, trabalhadores, soldados, igreja, todo mundo vivia a LTI - Linguagem do Terceiro Reich, tudo que era alemão, era superlativo, tudo que era o outro era o lixo, o que deveria ser extirpado da face da terra.

Aqui estamos com a máquina estatal, os três poderes dominados pelos golpistas, liderados pelos poucos donos do quarto poder, em processo de aniquilamento dos adversários, ou seja, o PT, suas lideranças e em seguida as entidades dos movimentos sociais e seus líderes. Não vai sobrar um. Somos todos judeus, somos todos coisificados, somos ratos, somos "petralhas", somos coisa, não somos gente. 

É por isso que prender um senhor de idade acompanhando a esposa no hospital em cirurgia contra o câncer, lutando pela vida, não é nada. Ele é petista, "petralha", somos coisa. não somos gente. O que se faz com ratos?


Já faz algum tempo que vejo o mesmo método nazista
ao tratar os adversários,
que vejo o P.I.G., os tucanos e golpistas aliados,

tratarem o PT, petistas e simpatizantes progressistas.
imagem: Rato-negro. Wikipedia, de H. Zell - Mechelet

ELEIÇÕES 2016: E AGORA, VOTAR PRA QUE?

"(...) no final, para muitos, a propaganda de Goebbels havia se tornado uma bobagem ineficaz. Mas também é certo que a propaganda, mesmo quando reconhecida como mentira e bravata, continua a surtir efeito, desde que se tenha o descaramento e a cara dura de sustentá-la de maneira imperturbável..." p.340 (Victor Klemperer)


Estamos a poucos dias das eleições para prefeitos e vereadores. Para os executivos de mais de 5 mil cidades e para os parlamentos delas.

Eu passei a minha vida defendendo eleições e politizando os trabalhadores para apostarem na democracia, votarem em partidos e candidatos que pudessem fazer a diferença para a vida deles. O PT chegou ao executivo federal e mostrou o que era possível fazer. Mudou a vida de dezenas de milhões de pessoas trabalhadoras e mais humildes, o povo da "Senzala" pensando a "Casa Grande". O mesmo se deu em estados e municípios, com a inclusão social sendo um dos carros chefes dos governantes do partido.

Mas os donos do poder se reorganizaram após a eleição de Lula em 2002 e vieram com força total para retomar o poder - se não deu pelo voto, vai pelo golpe mesmo -, como das outras vezes em que a esquerda e líderes do povo chegaram ao poder. 

O método desta vez não foram as armas logo de cara, foi através da tomada da máquina burocrática estatal, tomada apoiada e liderada pelos meios de lavagem cerebral da comunicação, até porque o século 21 é o século das ferramentas tecnológicas de comunicação de massas. Quem tem o poder dos instrumentos de comunicação, tem o poder sobre as massas.

Que diferença faz eu ir depositar meu voto nas urnas no próximo dia 2 de outubro? Eu sempre votei nos candidatos do Partido dos Trabalhadores, porque na minha concepção e análise política e intelectual não há outro partido no Brasil com melhores perspectivas de avanços efetivos para o povo brasileiro até o momento, desde os anos oitenta. Um partido de massas, com voto em porcentagens importantes, além do 1% de votos dos partidos ideológicos. Não há! E se ganhar e incomodar, eles derrubam pelo mesmo processo golpista. Milhões, milhões, milhões desviados blá blá blá...


Todo cidadão de bem, democrata, libertário, contra o ódio e intolerância,
deveria ler este livro-relato do que foi a ascensão do nazismo no cotidiano
dos cidadãos alemães desde a chegada de Hitler ao poder em 1933.
Estou vendo tudo de novo em nosso país, em nosso mundo.

A máquina estatal fascista e nazista trabalha para aniquilar, vaporizar, extinguir o PT e tudo o que ele significa para o país e para o povo brasileiro. Somos ratos. Somos judeus na Alemanha do 3º Reich.

A máquina estatal golpista pouco se importa com as "coincidências" nas datas, nos momentos das operações da Lava Jato, desde quando ela começou lá em 2009, e principalmente após as manifestações de junho de 2013. Só uns gatos pingados vão perceber a intenção, o projeto de aniquilamento do PT, dos avanços dos governos do PT para o povo da senzala.

- Fizeram uma operação semanas atrás só para prender por espetáculo um ex presidente da Previ, maior fundo de pensão da América. A Previ foi a única que saiu com atestado de honestidade e competência até em CPI, é referência de governança, mas dane-se! Fizeram o espetáculo, prenderam o cidadão, tudo transmitido pelas teletelas do Grande Irmão Globo e demais P.I.G... coincidentemente, havia eleições na Previ para uma diretoria bem naqueles dias, com muitos candidatos e disputadíssima, voto a voto, e havia um candidato com boas condições, apoio das entidades sindicais, que tinha origem e relação com o petismo (ratos?) e a operação e prisão foi pauta por vários dias nas redes sociais... a operação de prisão e soltura do ex presidente da Previ, do mesmo campo político de Lula e do PT, deve ter tido algum tipo de influência no resultado da eleição, não tem como não ter pesado isso durante o processo eleitoral. É a exposição negativa ao extremo...

- Estamos às vésperas das eleições municipais e não é que estava na hora de coincidir mais uma denúncia contra o líder maior do PT, o ex presidente Lula da Silva. O cara é um monstro, é chefe da maior quadrilha que este país já viu. Deve ter roubado todos os calangos e lagartixas que havia do sertão nordestino até São Paulo, onde ele ousou fazer política, politizar os trabalhadores, e de lá saiu para a presidência e para o reconhecimento do mundo. Não, ele é rato, é petista, é "petralha". Não é gente de bem. É coisa.

- Mais uma semana de proximidade com as eleições municipais e os homens de preto da PF, a mando do novo estado-maior de Curitiba, que aceitou contra Lula denúncia sem provas, vão a um hospital prender um senhor acompanhando a esposa que luta contra um câncer... mas normal no cotidiano "brazileiro"... ele é petista, "petralha" mesmo...

- Esses funcionários públicos concursados da máquina estatal conspurcada pelo partidarismo fizeram isso nos últimos 3 anos prendendo com espetáculo midiático José Dirceu, Genoíno, Vaccari, e outras figuras do PT em vésperas de processos eleitorais ou em dias nacionais importantes. E NÃO fizeram isso com Aécio, Cunha, Temer, e todos os outros políticos "acusados" da mesma forma e até com provas. Qualquer idiota com dois neurônios deveria perceber isso... mas há uma máquina de propaganda que Goebbels já sabia ser eficaz nos anos de 3º Reich...



E EU PERGUNTO A VOCÊS? O QUE EU IRIA FAZER NAS URNAS NO DIA 2 DE OUTUBRO?

"Não há uma vox populi [voz do povo], mas voces populis [vozes do povo]. A verdadeira é aquela que determina o rumo dos fatos, o que só podemos perceber a posteriori..." (Klemperer)


Quantos cidadãos assolados por esta máquina de propaganda estatal golpista, policial e dos meios midiáticos de alguns empresários que arquitetaram o golpe e fim da democracia vão depositar seus votos no PT? Ou na esquerda? Somos todos ratos...

Só das eleições passadas para cá, a senadora em quem votei, senhora Marta Suplicy, através da legenda do PT em SP, foi para o partido do golpe. E olha que antes de alguém sair do PT, o STF estava devolvendo o mandato para o partido. Foi só começarem a sair do PT, e os políticos que mudavam de partido começaram a ter direito ao mandato sobre o partido... (tudo decisão técnica, nada política!)

E o prefeito de Osasco, senhor Jorge Lapas, que ajudei a eleger em 2012 votando na legenda do PT e o desgraçado mudou de partido também? (vai ver, alguns de nós, ratos, tem o hábito de abandonar o navio atacado e afundando...)

E com o provável resultado contra nós do campo da esquerda nas eleições 2016, ainda vamos legitimar todos os candidatos deles, os fascistas, liberais, privatistas, defensores dos fins dos direitos humanos e políticas sociais, e merdas do tipo, como ocorreu nas eleições para o Congresso Nacional em 2014, já com essa máquina nazista de aniquilamento de nós do campo da esquerda, comunistas, fedidos, ratos, bolivarianos etc. Foi "ELEITO DEMOCRATICAMENTE" o pior quadro legislativo da história do Congresso Nacional brasileiro.

Enfim...

Como o povo vai sair dessa enrascada que o Grande Irmão Globo, os tucanos, e os empresários nos colocaram? Não temos a quem recorrer nos meios institucionais, porque os golpistas, a soldo alto, ocuparam esses espaços que deveriam zelar por nós.

Posso até ter receio de levantar minha voz contra tudo isso que está acontecendo, mas não posso me calar. É preciso registrar nossa indignação como cidadão e como ser humano, não coisificado. Não sou uma coisa, sou um ser humano e merecemos respeito.

William
Um rato? (sou de esquerda)

quarta-feira, 21 de setembro de 2016

Diário - 210916


Enfim, minha Kalanchoe vermelha floresceu... linda, não é?
Post Scriptum: quase apanhei da minha esposa por ter dito
"minha" na flor que é "nossa"... eu obedeço, não sou doido!

Noite de quarta-feira, calor de 25º em Brasília, com baixa umidade do ar.

Trabalhei até umas 21h na Cassi e vim para casa. Foi um dia de longos estudos em meu trabalho.

Estava louco para voltar a correr, mas com um pouco de receio porque faz exatamente um mês que tive uma pequena contusão muscular, provavelmente por estresse.

Coloquei um tênis, um calção e com todo cuidado corri 3,5 km num trote leve e sentindo o corpo. Corri por 23'. Espero que seja o recomeço para treinar meses seguidos e correr os 15 km da prova de São Silvestre no último dia do ano.

Manter a condição física aos 47 anos é uma tarefa facilmente realizável conforme a condição de saúde e disponibilidade de tempo da pessoa e pode ser uma tarefa complicada se você tem uma rotina de trabalho como a que eu tenho, uma não-rotina, sem horário, com muitas viagens, pouco tempo para dormir e se alimentar idealmente.


Por do Sol no meu mundo de Oz...
Osasco no fim de semana.

Eu estudei Educação Física por dois anos e gostei muito do curso e dos ensinamentos. Mas confesso que é bem difícil manter a forma física quando sua vida é uma constante de lutas e estresses no dia a dia. Mas até por isso, correr e praticar algum esporte é uma necessidade. Quero estar bem para render tudo o que posso nas minhas tarefas de representação dos trabalhadores.

Também estou precisando me desligar algumas horas por dia de meu trabalho e da tristeza contínua por causa da situação política em nosso país, agora um estado de exceção e sem democracia, com agenda de ataques aos nossos direitos e com cenário de volta ao passado tenebroso para o povo brasileiro, em benefício de algumas famílias e suas corporações. Preciso conseguir abstrair algumas horas para relaxar e manter a minha saúde.

Um livro pra relaxar... tenho lido um pouco; um filme ou episódio de algo para descontrair... estou tentando; relaxar em casa com esposa e filho... até tento, mas estamos vivendo vidas separadas por distâncias geográficas.


Que foda! Visão de meu mundo de Oz sendo estragada
pela especulação imobiliária. O mundo vertical toma conta.

Se eu tivesse umas horinhas a mais, eu exercitava meu cérebro com atividades deliciosas e não cotidianas como estudar línguas estrangeiras, grandes obras literárias, artes, ciências, conhecimentos gerais, olhar mais ainda a natureza etc. O tempo é que não ajuda. Onde está meu tempo para o ócio criativo?

Mas diferente do passado, hoje mantenho o desejo de estar bem para cuidar dos meus entes queridos e cumprir nossas tarefas revolucionárias. Cada dia está mais difícil, mas eu me esforço para não deixar o ódio dominar minha mente, e o dono do ódio virar o dono de mim... mas tá difícil.

E ainda, quando a agenda permite, estou participando de alguma mobilização junto ao povo que está nas lutas pela volta da democracia e na defesa de nossos direitos de classe trabalhadora. Neste mês, consegui participar de dois atos contra o golpe e pela democracia, um em Brasília e outro em São Paulo.

Seguimos firmes nas lutas! Vamos dormir.

William

segunda-feira, 19 de setembro de 2016

Domingo 18/9/16 - Na Paulista em defesa da democracia



Paulista, 18 de setembro de 2016.

Neste domingo, 18 de setembro, pude atender ao chamado dos movimentos sociais e defensores da democracia e estive à tarde na Avenida Paulista, palco de manifestações contra o golpe que o Brasil sofreu neste ano que ficará marcado por essa merda de interrupção da democracia em nosso país.


Um dos cidadãos em ato na Paulista 
contra o golpe e pela democracia.

Eu quase não tenho estado em São Paulo por causa de meu mandato exercido em Brasília. Felizmente, deu certo neste domingo em poder ir a um evento paulista, minha terra natal.


Traços vermelhos no povo e no Masp.

A Avenida Paulista ficou muito charmosa com a nova cara domingueira, com crianças brincando sentadas na rua, todos os tipos e tribos curtindo o espaço aberto ao prazer de andar, pedalar, namorar, ouvir bandas tocando, andar de skate etc.


Paulista, palco da aranha gigante de concreto
de pernas vermelhas.

Fiquei no local até por volta de 17 horas, a concentração estava marcada para as 14 horas. Não foi um dia com grande aglomeração de pessoas como outras atividades. Mas gostei de estar lá como mais um cidadão em protesto pelo que esta camarilha de corruptos e fascistas fizeram com nossa democracia.





Infelizmente, coube mais uma vez ao aparelho de repressão do governo tucano, registrar as cenas lamentáveis de violência contra os trabalhadores, contra pessoas civis e exercendo o seu livre direito de manifestação. Agrediram covardemente uma trabalhadora ambulante, que vendia bebidas. E jogaram gás de pimenta no Eduardo Suplicy.

O povo que abra os olhos e fique atento aos chamados dos sindicatos, movimentos sociais, partidos de esquerda, artistas e intelectuais progressistas porque a agenda dos golpistas é para retroceder miseravelmente os direitos do povo a condições de mais de um século trás.

Estava extenuado pela minha jornada de trabalho semanal, mas fiquei feliz em ter atendido ao chamado para participar do ato na Paulista neste domingo.

William
Cidadão


15/9/16

Denúncia tosca do MPF - Coletiva com o ex-presidente Lula

Coletiva do presidente Lula a respeito do processo kafkiano que o aparelho estatal golpista montou contra ele, sem provas, apenas com "convicção". Vivemos em estado de exceção, desde que os derrotados nas eleições presidenciais de 2014 resolveram partir para o golpe no desespero em não ganhar mais eleições democráticas. 

Com o apoio de setores do MPF, PF e a "operação Lava Jato", e com o beneplácito do STF, que deveria ser o guardião maior das leis no país, quebraram empresas do ramo da construção civil, destruíram a cadeia produtiva do setor de petróleo e construção naval e destruíram a economia brasileira, tudo para derrubar uma presidenta eleita com 54,5 milhões de votos, de um partido que vinha mudando a história do povo mais humilde e da classe trabalhadora após as eleições seguidas de Lula e Dilma.

A fala de Lula, em muitos momentos, resgata a história de classe, de nossa classe, quando se refere ao fazer sindical e político que está na origem da CUT e do PT.

- Ele disse que a burocracia de segundo e terceiro escalão tem mais poder que o presidente eleito... (eu sei o que é isso de burocracia no nosso mandato na Cassi)

- Opinou que a profissão mais honesta é a do político porque ele tem que pedir voto e passar pelo crivo popular o tempo todo. O concursado não, ele passa no concurso e estará lá para o resto da vida... (e eu ainda completo o que Lula quer dizer com isso, lembrando que concurso público não avalia ética, caráter, comportamento social, visão de mundo etc, somente acúmulo de certo tipo de conhecimento)

- Lula disse que o que faz ele caminhar por esse país são as ideias e a eloquência é sempre a mesma, não importa a distância que ande e nem a quantidade de pessoas que estiver presente... (faço exatamente isso em meu mandato na Cassi desde o primeiro mês)


domingo, 18 de setembro de 2016

Os pecados da tribo (1976), de J. Veiga, e o hoje



Finalizei a leitura da 6ª obra de Veiga.

Refeição Cultural - Literatura Brasileira


"Algumas pessoas bem-intencionadas, mas ingênuas, que pensavam estar prestando um serviço ao apontarem erros graves no tratamento, foram enquadradas na lei de repressão aos possangueiros, que é a pior forma de crime aqui no território..."

"É incrível como uma simples lei pode afetar o espírito das pessoas e modificar até a psicologia de toda uma comunidade..."


Domingo, 18 de setembro do ano de 2016. Há quarenta anos saía a quinta obra de José J. Veiga, um de nossos proeminentes autores da literatura brasileira dos anos sessenta e setenta.

Eu só comecei a ler Veiga neste ano, um ano estranho, diferente, de mudanças em nossos cotidianos com o que chega e muda drasticamente nossa vida, nossa rotina, e sem pedir licença, sem nenhuma consulta popular. Sem consentimento.

O ano de 2016 estava marcado para ser aquele em que o Brasil voltou a viver sob estado de exceção, sem democracia e liberdades (e direitos), com os "de fora" ou os derrotados pelo voto popular chegando e tomando o poder na mão grande e alterando drasticamente nosso mundo.

A leitura deste 6º livro de Veiga foi feita nos minutos que sobraram, entre um voo a trabalho e um momento de não cochilo em final de semana. A obra me acompanhou nos meus dias de trabalho em Brasília, nas idas ao Acre, ao Rio de Janeiro e a São Paulo.

O estranho que chega e muda - Exatamente assim são as obras de ficção de José J. Veiga, os contos, os romances, as crônicas. O estranho ou o evento estranho chegam a algum lugar e a vida daquela comunidade estará mudada para sempre. 


"Os acontecimentos nos apanharam de surpresa. Já estávamos acostumados com o batuque e com a algazarra, e até inclinados a aceitar aquela gente como bons vizinhos, quando eles de repente resolveram por os chifres de fora. Numa só noite atacaram oito canchas nas imediações e levaram tudo o que puderam carregar, inclusive crianças. Na noite seguinte, novo ataque, mais criações roubadas, mais crianças roubadas dos jacás e jiraus. Depois, quando passaram a encontrar resistência, responderam com incêndios e destruições generalizadas..." (Olha como a descrição acima é a cara da nossa história brasileira e latino-americana!)

E o que estamos vivendo neste exato momento em que escrevo? A nossa comunidade, o nosso mundo entrou num período sombrio, labiríntico e meio que sem saída após um conjunto de grupos de poder econômico organizarem um golpe contra o povo e sua jovem democracia, após anos de melhores oportunidades de vida e distribuição de riquezas.


Já li neste ano Os cavalinhos de Platiplanto (1959), A hora dos ruminantes (1966), A máquina extraviada (1967), Sombras de reis barbudos (1972), O professor burrim e as quatro calamidades (1978) e agora Os pecados da tribo (1976).

Boa parte da obra de José J. Veiga foi escrita durante os anos de exceção e sem liberdade em nosso país. Por mais que o próprio autor tenha dito em vida que não havia referência explícita entre seus contos e romances e o contexto político e social do Brasil sob ditadura civil-militar, é evidente que toda sua obra é permeada pelo clima em que o povo vivia. A censura, o controle, a falta de liberdade e os direitos do povo sem importância alguma para os poderosos, os donos do poder.


"O lago já era um clarão só, formigando com o tremor daquelas tantas luzinhas que calculei em muitos milhares já, não havia mais lugar na água para as luminárias que ainda chegavam, e os portadores as arrumavam na margem, era um quadro tão bonito que dava vontade de cantar, e foi o que fizemos espontaneamente, ninguém falava, só cantávamos, quem não sabia e não queria cantar ficava olhando como encantado, numa alegria tão rara que me deu tristeza de pensar que quando os pavios se queimassem todos e as luminárias se apagassem, como já ia acontecendo com algumas, toda aquela beleza se acabaria, e dentro de mais algumas horas, com o nascer do sol, aquela noite seria apenas uma lembrança, e dias depois um sonho talvez até inacreditável..."

Pois é. Estamos vendo o povo saindo com suas luzinhas e sonhos para as ruas, se reunindo em praças, avenidas e logradouros públicos, e dizendo palavras de ordem pela volta da democracia e lutando contra a retirada de direitos sociais, civis, políticos e humanos nos dias que correm em nosso país novamente sob estado de exceção, exatamente como nos anos em que Veiga escrevia.

Como diz o protagonista da estória, dá até tristeza de pensar que quando os pavios se queimarem e as luzes se apagarem... talvez a gente nem acredite no amanhã que o momento aconteceu e foi possível.

Nos anos sessenta, após o golpe, a elite conservadora e organizadora do golpe achou que seria coisa rápida tirar o João Goulart do poder e depois pegariam de volta a máquina estatal... e se foderam porque entregar o poder para grupos militares, policiais e de toga é entregar sua sorte civil e de leigos sem poder para um grupamento que não pensa e não liga para ser humano e para liberdades civis.

O mesmo se repete agora. Os golpistas da grande mídia, empresários e partidos de oposição ao PT que usaram a máquina estatal da estrutura burocrática da justiça e da polícia para aplicarem o golpe não sabem o que é esse segmento mandando e desmandando, escolhendo quem será vítima deles, até os desafetos pessoais.

É nesse mundo que estamos nos enfiando por causa dos organizadores do golpe, os empresários dos meios de comunicação (P.I.G.), banqueiros e donos de empresas da Fiesp, quase todos os partidos de direita e liberais como o PSDB, PMDB e lixos do tipo, o parlamento apodrecido, eleito e mantido com bilhões de reais dos setores citados anteriormente e, por fim, cidadãos concursados dos órgãos públicos que se apoderaram do aparelho do Estado para fazer política onde deveria prevalecer o respeito à lei e ao povo brasileiro.

Estamos fodidos e temos culpados por isso ao nosso redor, entre conhecidos e familiares, gente que foi manipulada ou que é mau caráter e hipócrita e que não conhece história e por isso não tem noção das consequências em trocar o convívio social em estados democráticos por estados totalitários.

Enquanto isso, vou lendo José J. Veiga e passando algumas horas no mês em contato com uma literatura que nos alerta para o estranho, o novo, o diferente, que chega e altera a nossa condição e o nosso viver...

William

quinta-feira, 15 de setembro de 2016

Diário - 150916 (cansaço)





Acordei nesta quinta-feira com grande dificuldade de levantar da cama. Fiquei mais de uma hora acordando e cochilando mais alguns minutos. Bateu um cansaço danado em mim. Será que eu era Gregor Samsa...

Acabei levantando para retomar as lutas diárias que nossa função social exige. Como diz meu poeta favorito, Drummond:

"Chegou um tempo em que não adianta morrer.
Chegou um tempo em que a vida é uma ordem.
A vida apenas, sem mistificação.
"


Cheguei ontem do Rio de Janeiro quase à meia noite. Fui cumprir uma agenda de trabalho. Participei de encontro com aposentados do Banco do Brasil. Depois fiz um esforço extra na agenda e saí de Xerén, em Duque de Caxias, para ir à Unidade Cassi do outro lado do Rio de Janeiro e voltar pra embarcar no Galeão, no final da noite.

Fui conversar com os trabalhadores da nossa entidade de saúde. O esforço valeu a pena. Esse pessoal que dedica sua vida à Cassi deve ser muito respeitado por nós gestores, pelo Banco do Brasil e pelos associados de nossa operadora de autogestão em saúde.

Não sei o porquê desse cansaço grande que me segurou na cama até mais tarde... 

Na verdade eu sei sim. Saber do espetáculo dantesco que a máquina do estado de exceção em que vivemos fez com o presidente Lula me deprimiu profundamente. Uns fulanos da máquina estatal denunciaram Lula por um monte de crimes inventados. Faz parte do Golpe prender nosso líder e talvez até soltá-lo depois, mas sem poder participar da vida pública. Me disseram que a montagem foi ao vivo através das teletelas do Grande Irmão Globo.

A gente às vezes quase morre de desgosto. A caça ilegal a este homem de bem, maior liderança do povo brasileiro em toda a sua história, nos faz perder a fé e a esperança em lutar com as ferramentas legais contra as injustiças e contra o status quo, contra o sistema hegemônico e explorador do capitalismo, que sempre foi e sempre será cego em relação ao povo que a gente representa e faz parte, a classe trabalhadora e gente humilde.

Neste momento, ainda em casa, estou com muita raiva e desprezo de qualquer ser humano que foi favorável a todo esse processo de quebra da democracia e golpe nazifascista contra Dilma, Lula e o Partido dos Trabalhadores. Sinto um desprezo gigantesco pelos hipócritas e tenho dó dos manipulados que participaram disso. Mas sou um cidadão civilizado para lidar com a alteridade.

O que estão fazendo com o Lula nos avisa que não há mais normalidade alguma na vida civil. Se alguém desse Estado dantesco e golpista olhar pra mim ou pra você, cismar comigo ou com você, souber que eu existo e que não pactuo com essas aberrações do sistema totalitário em que entramos, podem expedir uma ordem de me vaporizar da normalidade civil. Qualquer um de nós que nos opusermos ao que se instalou no aparelho do estado de exceção golpista pode ser a próxima vítima a qualquer instante. Que adianta termos toda uma vida honesta e de bons princípios e ética e correção? Basta incomodarmos os deuses do estado de exceção e acabou.

A quem recorrer dentro da legalidade? A "legalidade", a lei e as instituições que deveriam proteger a legalidade e os cidadãos foram tomadas pelo estado de exceção. Fizeram parte do golpe que ceifou a democracia em nosso país.

Não há mais solução na legalidade para retomar a democracia e a liberdade verdadeira, a liberdade não autorizada pelo Grande Irmão P.I.G. e pelos novos donos do aparelho estatal.

Fico vendo lideranças do campo da esquerda discutindo nuanças se o povo que ainda luta nas ruas deve reivindicar "Diretas já" ou a volta da presidenta ilegitimamente deposta com apoio de todas as estruturas legais do Estado. Ou até se deve prevalecer o lema "Fora Temer". Os mais doidinhos de sempre, das correntes pseudo-revolucionárias pedem "Fora todos". Eu fico vendo isso e fico melancólico. Até vou pra rua quando minha agenda de trabalho permite. Mas os esperançosos na legalidade civil são quase como crianças, na minha opinião.

Não há volta da democracia dentro da legalidade civil. Este golpe foi organizado com todos os poderes do aparelho do Estado, com os envolvidos comprados a soldo de milhões. Com o apoio do país que organiza golpes no mundo há um século. E os aparelhos de manipulação estão azeitados para fazer continuar adormecida a massa humana pescada nas teletelas com bundas, futebol, novelas, aparelhos de celular e rede social, estão causando com selfs cada vez mais legais...

Podem dizer que não gostam mais do Grande Irmão Globo, mas no fundo todos querem mais é ter seu segundo de fama nas redes sociais... é tudo "mãe, tô na grobo" do mesmo jeito.

Não há solução na legalidade civil para salvar Lula, para salvar o movimento popular que está nas ruas contra o golpe e pedindo novas eleições. Esse povo vai começar a morrer, vítima dos aparelhos repressores do Estado golpista. Não dá pra enfrentar armas com o corpo nu. 

Qual órgão do Estado iria conduzir um processo de novas eleições?

O Congresso Nacional dos golpistas? O STF do salário aumentado no processo de destituição da presidenta sem crime? A OAB que sumiu, desapareceu, escafedeu-se...? Ou seria os órgãos deuses PF MPF MP que agora podem entrar em nossas casas, inventar ilações contra cidadãos ou empresas, nos prender sem Habeas Corpus e sem direito a um telefonema...? (e se for interessante, combinado com o Grande Irmão Globo)

Já sei! Vamos denunciar aos órgãos de imprensa...

Fiquei cansado e com dificuldades para levantar, mas já levantei. Vamos desempenar o corpo e sair pra luta. 

E com um problema desse que tomou conta de nossa vida civil brasileira, que espaço eu teria pra chorar o que enfrento no dia a dia dentro da entidade de saúde que administro como eleito pelos associados? Mandato em que não deixei de ser eu mesmo e passei a questionar e enfrentar coisas erradas na burocracia e nesses dois anos já sofri represálias que são difíceis de dizer aos amigos e pessoas que representamos? As perseguições e más vontades que enfrentamos nos quebram um pouco. Mas o processo é pra isso mesmo. As coisas estão mais difíceis ainda com a nova composição na gestão... mas aviso que não vou me desviar de meus princípios e conduta.

Estou terminando de reler Edward Said nesta semana porque preciso renovar minhas convicções na ética, no papel que temos que desempenhar como pessoas que têm conhecimento e que não devem se dobrar aos encantos e facilidades do poder instituído. Eu tenho que achar muita energia para manter minha linha de representação da classe a qual pertenço e dizer o que penso e o que tem que ser dito a qualquer um que seja. Mesmo com todas as consequências que sofremos com isso.

Todo a minha solidariedade ao presidente Lula. Ninguém está seguro mais neste estado de exceção, onde um bando de fascistas controlam a máquina estatal dos três poderes e são liderados pelo quarto poder (P.I.G.), contra todos que levantem a voz contra eles.

Nossa obrigação como cidadãos conscientes e conhecedores da história é registrar os fatos para deixar vestígios no amanhã contra a máquina totalitária de registro dos vencedores.

Estou com o corpo e a alma cansados, mas vamos fazer nosso papel social.

William
Cidadão de um Estado sem lei

domingo, 11 de setembro de 2016

Fim de semana em família





Refeição Cultural


Acabando o fim de semana.

Dei um tempo em computador e não entrei em internet os dois dias.

Curtimos o fim de semana com o filhão em casa e com meus dois sobrinhos. Foi bom.

Assistimos filmes, eu li um pouco, fiz caminhadas, ouvimos música, conversamos olhos nos olhos. 

Já que me contundi no mês de agosto, ainda não estou arriscando correr. Já estou fazendo umas caminhadas e em breve retomo as corridas.




Ao rever pela quarta ou quinta vez o filme do sueco Peter Cohen, Arquitetura da Destruição (1989), ficamos sempre pensativos a respeito do mundo, da sociedade e do quanto faz falta as pessoas não conhecerem história.




Também revi pela terceira ou quarta vez A Onda (2008), filme alemão que aborda a mesma temática do totalitarismo, nazismo, autocracia, fascismo. Mundos distópicos. O que aconteceu no Brasil, hoje sob Golpe de Estado, foi uma onda que vi nascer, descrevi e previ que poderia acontecer e aconteceu. Agora é o caos.

Estamos vivendo momentos importantes e decisivos na entidade de saúde de autogestão em que sou gestor eleito pelos associados. Reler Edward Said (1935-2003) e refletir sobre suas Conferências Reith (em 1993), reproduzidas no livro Representações do Intelectual, é necessário porque tenho o compromisso intelectual de dizer o que penso e alertar sobre as perspectivas de futuro para a Cassi nas decisões que serão tomadas pelos trabalhadores que represento nas próximas semanas.

Queria ler algo mais ameno, para relaxar, mas os dias não estão nem para peixe, nem para José J. Veiga...

É isso. Foi bom ter o filho em casa e os sobrinhos. E alguns instantes sem contato com o mundo em caos, em golpe, sem valores e sem noções.

Enquanto eu dei um tempo no mundo, para ficar com meu filho, esposa e sobrinhos, a polícia de repressão da Tucanolândia, em SP, realizou mais um show de barbárie agredindo nas ruas a população lutando pela volta da democracia. 

Já estamos em estado de exceção, como disse a vocês. Não há mais lei. Não há mais democracia. O Estado agora é agressor e, daqui a pouco, será um Estado criminoso, vão acabar morrendo pessoas por exercerem suas liberdades de expressão...

William

sexta-feira, 9 de setembro de 2016

Diário - 090916 (24 anos após 090992)



24 anos de Banco do Brasil...
E de lutas coletivas...

090992 - 090916

No dia 9 de setembro de 1992 me apresentei ao gerente da Agência Rua Clélia, em São Paulo. Era o dia da minha posse como funcionário do Banco do Brasil, aprovado em concurso nacional para escriturário (Carreira Administrativa E-1), concurso que foi até cancelado por fraude em Brasília. Tive que passar duas vezes no mesmo certame para ser chamado.

Eu já conhecia um pouco o ambiente do Banco do Brasil porque era estagiário na Agência Ceagesp, onde fiquei entre os dias 20 de fevereiro de 1992 a 8 de setembro de 1992. Me desliguei em um dia para tomar posse no outro. Eu era estudante de Ciências Contábeis na época.

Antes de minha posse no Banco do Brasil, já havia tido a oportunidade de ser bancário na base do Sindicato dos Bancários de São Paulo, Osasco e região, porque fui trabalhador do Unibanco entre 20 de abril de 1988 e 31 de maio de 1990.

Na mesma época em que passei no concurso do Banco do Brasil, havia passado também no concurso da Companhia de Engenharia de Tráfego (CET SP). Acabei escolhendo o BB porque a jornada de trabalho era de 6 horas. (a gente nunca sabe o que a vida nos reserva... quem diria que eu passaria a maior parte da minha vida de bancário trabalhando longas jornadas, como hoje)

Entrei no Banco do Brasil na era Fernando Collor de Mello. Meu salário inicial era de Cr$ 3.036.770,00 mensais mais 1% sobre o VP a cada 365 dias de efetivo exercício. Está escrito isso em minha carteira de trabalho. (4 anos depois, em 1996, o PSDB extinguiu de forma arbitrária esse meu direito ao anuênio, direito que está escrito até hoje em minha CTPS; e na época o pessoal das correntes sindicais de oposição à Articulação Sindical da CUT diziam que isso era "direito adquirido" e que ninguém iria mexer no meu direito... eu vivo dizendo aos meus pares o quanto conhecer história é fundamental na vida do trabalhador)

Enfim, virei bancário do BB, trabalhei na Agência Rua Clélia, depois tomei uma transferência automática para a Agência Barra Funda (o gerente geral recebeu da Super a encomenda de se livrar dos militantes do Sindicato) e por fim trabalhei na Agência Vila Iara, Osasco.

Em 2002 fui eleito diretor do Sindicato dos Bancários de São Paulo, Osasco e região. Fui liberado para exercer atividade sindical em 5 de agosto de 2002 e depois de uma parte de minha vida dedicada à construção das lutas dos bancários do BB e demais trabalhadores, dedicada à antiga CNB/CUT (depois Contraf-CUT) e dedicada à própria Central Única dos Trabalhadores (CUT), cheguei hoje aos 24 anos de Banco do Brasil exercendo a função de Diretor de Saúde e Rede de Atendimento da Caixa de Assistência dos Funcionários do Banco do Brasil, eleito pelos associados, colegas da ativa e aposentados.

Passei os últimos 24 anos de minha vida lutando como trabalhador bancário do Banco do Brasil e também como trabalhador bancário do Unibanco. Eu olho para trás e reflito que busquei fazer tudo o que esteve ao meu alcance em benefício da categoria em que estou inserido, e sigo fazendo isso, a partir do espaço de representação em que me encontro.

Entrei sob a era Collor. Enfrentei e sobrevivi - assim como parte de meus colegas - aos dois desgovernos do PSDB. Participei das lutas dos bancários por direitos nos dois governos de Lula, do PT, e dos governos Dilma, do PT. E depois de um ciclo de 24 anos de carteira assinada no Banco do Brasil, faz alguns dias que estamos todos e todas sob um governo que não foi eleito pelo povo... com agendas de destruições dos direitos dos trabalhadores em andamento...

24 anos de trabalho no Banco do Brasil é uma jornada de lutas considerável. Mas estamos aqui e seguimos lutando, porque fazemos o que tem que ser feito.

William

quinta-feira, 8 de setembro de 2016

1984 é agora - enfim, o Grande Irmão zela por nós



O Grande Irmão Globo observa você...

Assisti ao filme 1984, de Michael Anderson, lançado em 1955 na Inglaterra. Foi a primeira adaptação do clássico de George Orwell, de 1949.

O filme é em preto e branco e eu gosto bastante de filmes antigos, mais que filmes modernos feitos com tecnologia de computadores.

O momento para assistir ao filme não poderia ser mais adequado. Quando reli o livro meses atrás, o Grande Irmão Globo e toda a camarilha de golpistas estavam no processo de derrubar o governo Dilma, destruir Lula e o PT e acabar com a democracia brasileira.


Onde no brazil não tem uma teletela do Grande Irmão Globo
ligada, manipulando você?

Hoje, setembro de 2016, o Grande Irmão Globo venceu e seu estado totalitário está se implantando. Após derrubar o governo e reinstalar a ditadura que esse mesmo Grande Irmão havia participado desde os anos sessenta, os irmãos Marinho e seus pares do Partido da Imprensa Golpista (PIG) estão fazendo editoriais e pedindo que as polícias, os aparelhos de repressão, ataquem o povo na rua para que ninguém conteste o novo sistema totalitário do Partido (PIG).

Eu tanto falei e tanto escrevi durante meses do processo de construção do ódio organizado pelo Grande Irmão Globo... (e deu certo!). Um dos pilares do mundo distópico e totalitário de Orwell era "os dois minutos do ódio" e a "semana do ódio".


Depois de um intervalo entre os séculos (o maldito PT no poder),
tudo voltou ao normal na Oceania.

O Grande Irmão Globo venceu! Tudo vai voltar ao "normal" no brazil.

O Partido (PIG) domina corações e mentes. Até reconheço que exista a Resistência, assim como afirma a estória do 1984, mas a Resistência será capaz de vencer o sistema controlador do Grande Irmão Globo e seus asseclas?

Neste momento em que escrevo, madrugada de quinta-feira 8 de setembro, milhões de brasileiros (cidadãos da Oceania) estão ligados no canal aberto do Grande Irmão e nos canais por assinatura do Grande Irmão, nas opções de esporte após rodada do Brasileirão, na Globonews, nos canais que repetem programas, nos canais que apresentam sexo, até nos canais de "cultura" (é, quem disse que o Grande Irmão não vende "cultura!").


Já que a gente não aprende com o passado...
Deixemos que o Grande Irmão reescreva o passado,
e controle o futuro, a partir do presente.

Logo pela manhã, todos os membros do Partido (PIG) estarão atualizando os registros nos jornais escritos, revistas, TV e rádios, agências de criação de porcarias diversas para serem replicadas nas redes sociais por milhões de cidadãos brasileiros (da Oceania).

Sem contar que na hora do café da manhã e nos almoços, ou nos meios de transporte, lá estarão os membros do Partido da Globo ou seus pares (PIG) transmitindo nas teletelas as notícias e manipulações criando registros ou atualizando registros, para manter o sistema totalitário do Grande Irmão...

"Quem controla o passado, controla o futuro;
Quem controla o presente, controla o passado"

E o que é o passado? São os registros...

Serei eu um Winston Smith? Todos nós somos smiths e júlias?

Viva o Grande Irmão! Vida longa ao Grande Irmão!
Viva William Bonner! William Waack! Mirian Leitão! Sardenberg! Viva Luciano Huck! Viva Faustão! Viva Reinaldo Azevedo! Ehhh viva Galvão Bueno! Viva Boris Casoy! Viva Datena!

(são muitos membros do Partido (PIG), não dá pra enumerar...)

William
Cidadão da Resistência

(Tá tudo dominado! Até o filme que comprei é do PIG, dos Frias)