quarta-feira, 17 de setembro de 2008

A importância do ato de ler – Paulo Freire (1982)


ALGUMAS IDEIAS DO LIVRO DE PAULO FREIRE


A aprendizagem da leitura e a alfabetização são atos de educação e educação é um ato fundamentalmente político.

A leitura da palavra é sempre precedida da leitura do mundo.

Comprometer-se politicamente com a tarefa da recuperação da dignidade do oprimido.

A leitura do mundo precede a leitura da palavra, daí que a leitura posterior desta não possa prescindir da continuidade da leitura daquele.

Na medida, porém, em que me fui tornando íntimo do meu mundo, em que melhor o percebia e o entendia na ‘leitura’ que dele ia fazendo, os meus temores iam diminuindo”, Paulo Freire ao falar da leitura de seu mundo em um contexto. Aqui, sua infância.

As teses sobre Feuerbach, de Marx, têm apenas duas páginas e meia...”, sobre a confusão que os educadores fazem achando que mandar ler enormes listas de bibliografias é educar, não compreendendo que o adentramento na leitura é mais importante que a quantidade.

O processo de alfabetização tem, no alfabetizando, o seu sujeito. O fato de ele necessitar da ajuda do educador, como ocorre em qualquer relação pedagógica, não significa dever a ajuda do educador anular a sua criatividade e a sua responsabilidade na construção de sua linguagem escrita e na leitura desta linguagem”, o educando não é uma folha de papel em branco, isso é fundamental para compreender a educação.

Palavras do Povo, grávidas de mundo” – Expressão fantástica, que resume a ideia básica de alfabetização de Paulo Freire, sobre usar as palavras carregadas de significação da experiência existencial do educando e não do educador.

A leitura crítica da realidade , dando-se num processo de alfabetização ou não e associada sobretudo a certas práticas claramente políticas de mobilização e de organização, pode constituir-se num instrumento para o que Gramsci chamaria de ação contra-hegemônica. Essa é uma das conclusões do professor Paulo Freire.


Nenhum comentário: