quarta-feira, 30 de janeiro de 2013

Morreu o Dógão, meu pangasius


Esta terça-feira, 29 de janeiro, foi um dia muito triste pra mim. Morreu meu peixe pangasius, carinhosamente chamado de Dógão por nós em casa.

Estou na faixa dos quarenta anos de idade e tive na minha vida dois animais de estimação. O cachorro pequinês Leique me acompanhou por uns treze anos, ou seja, toda a minha infância. Meu peixe pangasius esteve comigo uns treze anos também, desde o início dos anos dois mil.

Sempre gostei de aquariofilia. Eu tenho aquários desde os vinte anos de idade.


Ao fundo, vemos meu pangasius em dezembro de 2012.

A famosa frase de O pequeno príncipe - "você é responsável por aquilo que cativa" - talvez esteja intimamente ligada ao fato de eu ter passado toda a vida adulta curtindo peixes e aquários, pois ter aquário requer uma certa rotina e disciplina para manter os aquários em boas condições para se ter peixes saudáveis e longevos.

Ou seja, ter e cuidar de peixes ornamentais é ir no sentido contrário à velocidade do mundo contemporâneo. Vou sentir muito a falta do meu Dógão. Sou dirigente sindical e militante político há uns dez anos e a nossa vida é uma coisa completamente extenuante e sem rotina.


Olha lá meu pangasius com casa cheia.
Meu filho tinha uns 7 anos. Ele, uns 3 anos.

Nos primeiros anos de movimento sindical, eu pelo menos atuava sempre na mesma região e não viajava. Depois de 2006, quando entrei para a Contraf-CUT, passei a viajar com frequência e nos últimos anos quase não sobrava tempo para estar em casa. Acabei jogando parte da responsabilidade de cuidar dos aquários para minha esposa.

Mas uma coisa tive que fazer religiosamente ao longo da vida adulta: fazer manutenção em aquário aos finais de semana, pelo menos a cada quinze dias. Além do prazer de ficar ali lidando com água e peixes e o gostoso que é vê-los saudáveis, também existe a obrigação de "cuidar daquilo que eu cativo" e isso me fazia dar um tempo na mente e no corpo.

Conforme os anos foram passando, eu já me perguntava quem de nós dois iria primeiro, porque nunca poderia imaginar um peixe ornamental durar tanto tempo. 


Até março de 2009, o Dógão tinha companhia.
Depois disso, deu alguma doença na água e os
balasharks morreram e o pangasius albino também.

Meu peixe sobreviveu a todos os peixes que chegaram e morreram no aquário. Sobreviveu várias vezes às doenças que pegou. Sobreviveu às pancadas nos vidros que esta espécie normalmente dá. Incrivelmente, sobreviveu a um tombo de um metro e meio de altura quando pulou do aquário em 2011 e fez a minha esposa superar o maior pavor doméstico que tinha na vida (medo dele) e ela teve a coragem de pegá-lo sozinha no chão e salvá-lo.

Sério, cheguei a pensar que esse peixe não morreria antes de mim! Pesquisei algumas vezes para saber quanto tempo viveria um peixe pangasius de aquário ornamental, mas não achei resposta. Normalmente, eles morrem quando crescem por se baterem no aquário.


Meu pangasius em julho de 2010. Eu viajo muito,
mas era muito legal ver os hábitos do Dógão
conforme o horário do dia.

Vou sentir muita falta dele. Da rotina de cuidar do aquário e dele nos finais de semana.

Nos últimos meses, eu ficava muito tempo curtindo ele nos poucos momentos em que estava em casa. Estava muito legal vê-lo comer de noite. Era uma festa suas manobras em baixo da cachoeirinha pegando comida.

As leituras na minha cadeirinha da sala era uma rotina: ler e olhar pro meu aquário...

O Dógão tinha uma rotina para cada hora do dia. Tinha a hora em que ele relaxava e ficava quietinho num canto... tinha a hora em que ele nadava de um lado para o outro, ia no rumo da bombinha, nadava contra as bolhinhas e voltava. Tinha os momentos de ficar embaixo da cachoeira do filtro externo. À tarde, ele gostava de dar voltas no aquário e subir, encher a boca de ar e afundar soltando bolhas pelas guelras...

A coisa mais impressionante do mundo, era ver o pangasius se recuperar fisicamente dos machucados e feridas. O bicho parecia imortal. Sempre sarava e se recuperava de cortes, feridas e doenças comuns em peixes ornamentais.





Vou sentir falta do meu peixe. A sala está um silêncio insuportável. Vazio. O barulho do aquário às vezes incomodava, mas estava no script.

Já se percebe que a gente chamava ele de Dógão porque viveu tanto quanto nossos cachorros de estimação, não era um peixinho comum que vem, fica um tempinho e quando morre no meio dos outros, é só mais um peixinho pra pegar com a redinha e jogar fora.

Ele não foi pra redinha nem pro lixo.

O pequeno príncipe explica isso. Uma flor em meio a várias, é uma flor. Quando você a cativa, ela passa a ser a SUA flor.

O Dógão não era um pangasius. Era o MEU pangasius. Foram muitos e muitos anos.

Nós lhe demos o tratamento respeitoso que merecia.

Estou triste. Mudar a minha rotina de não ter mais a minha rotina com ele vai ser estranho.

Tem uma coisa nas perdas que impactam muito na vida das pessoas, seja a perda de uma pessoa amada, de um animal de estimação, de um trabalho ou uma rotina de vida. Essas perdas quebram a sensação de estabilidade, de vínculo com algo, um voltar, um ter que fazer, que cuidar.


Sinto hoje um grande vazio na minha sala, na minha casa, nas minhas obrigações. No meu voltar, no que cuidar. Vou sentir falta do Dógão.


Post Scriptum (14/11/13):


O BLOG E A RELAÇÃO COM AS PESSOAS DO MUNDO: A sensação de pertencer a uma rede mundial de comunicação é algo muito legal. Meu blog não é nenhum desses grandes blogs com milhares de acessos e pessoas responsáveis por cuidar dele. Eu o alimento com coisas que eu acho úteis para partilhar e conversar com as pessoas do mundo. Normalmente, esse blog tem uma centena de acessos por dia e isso é gratificante pra quem quer conversar com as pessoas e partilhar ideias e ideologias de uma forma propositiva e pacífica.

A minha postagem sobre meu pangasius que morreu no início deste ano já teve cerca de 500 acessos e, às vezes, tem comentários nas postagens pra liberar. Hoje liberei uma de alguém que chegou em casa e encontrou seu peixe querido morto... Isso torna o nosso diálogo com o mundo uma coisa tão humana e tão rica! Ao mesmo tempo é comovente e nos conforta porque acho que estamos fazendo algo legal... é isso!


27 comentários:

Anônimo disse...

Muito bom texto amigo, estou pesquisando sobre e cheguei até aqui, obrigado pelas informações.

William Mendes disse...

Olá amigo,

O blog está a disposição para partilhar conhecimento e experiências.

Abraços,

danilo vieira disse...

Meu pangassius está com umas manchas na pele (como se estivesse saindo o couro). sabe algo a respeito? O que usar como tratamento?

William Mendes disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
William Mendes disse...

Olá Danilo, como vai?

Em relação ao tratamento de pangasius, eu aprendi uma coisa: nunca usei os remédios tradicionais das casas de aquário.

Não sei se o seu pangasius se bateu e ficou machucado (é muito comum isso) ou se as manchas apareceram pelo fato da água estar muito velha (sem trocar um pouco há muitos dias).

Quando o meu pangasius estava com algo assim, eu trocava um pouco da água, verificava se a oxigenação estava normal e acrescentava um pouco de sal grosso. Sempre tratei meu peixe só assim: trocar um pouco a água e acrescentar sal grosso.

Não pode ser muito sal grosso e nem deixar ele por o sal grosso na boca. Coloca em um cantinho do aquário.

A quantidade que eu usava era meia colher de sopa para o meu aquário com uns 180 litros (ou seja, é pouco sal grosso).

No mais, pangasius é um peixe resistente e sua pele se recupera com facilidade.

Mas é importante você identificar a causa das manchas. Pode ser pelo fato da água estar muito velha (ácida).

Abraços e desejo que seu pangasius melhore.

IMPORTANTE: não sou profissional. Estou lhe dizendo a forma que eu tratei o meu pangasius por mais de uma década. Não deixe também de procurar informação em uma BOA casa de aquário (cuidado com empregados que ficam dando palpites sem conhecimento apropriado).

Daniel Boca disse...

Olá! Belo texto, eu posso dizer que entendo muito bem seu sentimento!

Tive um Beagle que coincidentemente me acompanhou por 13 anos, até meus 22 e só tive coragem de ter outro cachorro depois de casado, já com 30 anos.

Qual o tamanho que seu Pangasius atingiu? Eu me apaixonei pela espécie e estou adquirindo um aquário de 150x50x50 (o máximo que dá aqui em casa) especialmente para ter 1 casal!

Alguns me dizem que ele passa de 1 metro em poucos anos, então fiquei meio preocupado!

William Mendes disse...

Olá Daniel, tudo bem contigo?

Pois é, eu também tive um cachorro (pequinês) que me acompanhou mais ou menos entre meus dois ou três anos até uns 15 anos de idade.

Olha, acho que o tamanho do seu aquário será bem legal para criar pangasius: 375 litros.

Acredito que alguns fatores influenciam no crescimento mais rápido ou não dos pangasius.

Por exemplo, meu pangasius passou um tempo quase sem crescer porque o aquário tinha muito ornamento e tocas. O peixe era pequeno, saia da toca, comia e voltava pra toca. Quando eu desfiz todas as tocas e ele começou a nadar o tempo todo, começou a crescer.

Quando morreu, o pangasius já vivia sozinho no aquário (200 litros) e devia ter cerca de uns 40 centímetros.

Creio que seu aquário dará para uma vida longa de dois ou três pangasius.

Para você não se frustrar, leia a respeito do peixe porque ele costuma deixar os donos um pouco estressados, pois se bate muito no aquário e muitas vezes acaba morrendo por isso.

Mas quando olho pra trás... digo que valeu a pena ter meu pangasius.

Abraços,

Anônimo disse...

Li seu texto e compreendo perfeitamente o q está sentindo. Acabei de chegar em casa e o meu "Tubarão" — meu Pangasius de 5 anos está morto!!! Meu peixe mais querido... Todos os dias parece que me esperava na volta do trabalho, fazendo festa...

William Mendes disse...

Putz, que chato e que triste encontrar seu "Tubarão" morto! Meus sentimentos.

Meu pangasius "Dógão" morreu há muitos meses e até hoje eu não tive coragem nem de desfazer do meu aquário de 200 litros, nem de ativá-lo novamente.

Quando sento-me na sala pra ler, às vezes, me vem a lembrança dele fazendo seus movimentos que tinham uma certa rotina conforme o horário do dia...

A você que acabou de perder seu pangasius, meus sentimentos.

Abraços,

Anônimo disse...

Gostei do texto, tenho um pangasius que está ferido por ter batido com força no vidro e nas pedra, fez um corte grande debaixo da boca que a pela ta pindurada, tô preocupada.
Como faço pra melhorar?

William Mendes disse...

Olá, como vai?

Não sei se você tem o pangasius há muito tempo. O meu vivei mais de 10 anos se batendo, se machucando e se recuperando.

A única coisa que eu fazia para cuidar do pangasius era trocar a água com regularidade e colocar um pouco de sal grosso na água. Mas é pouco. No meu aquário de 200 litros era uma ou duas colheres (de chá).

Com o passar dos anos, parei de usar os tradicionais bactericidas, parasiticidas e fungicidas com ele. Era só troca de água e um pouco de sal grosso.

Mas acredito que seu pangasius vai se recuperar. A capacidade de regeneração da pele deles e das feridas até com rasgos é GRANDE.

Certa vez o meu rasgou a barbatana caudal ao meio e recuperou rapidamente.

Boa sorte e tudo de bom pra você e pro seu pangasius.

Abraços,

Anônimo disse...

Oi tudo bem! meu nome é Tatiana sou de Caruaru-PE obrigada por me responder sobre o meu pangasius que ta ferido por ter batido nas pedras, vou fazer isso colocar sal grosso meu aquario tem 1m e 10cm, eu crio o pangasius a 7 anos ele é do tamanho seu grande e tenho também um albino branco, pra ele não ficar só e o albino é super tranquilo não se assusta mas gosto muito do pangasius vou fazer o que você falou e ficar de olho na recuperação Obrigada. Grande Abraço.

William Mendes disse...

Olá Tatiana, vamos torcer pela recuperação de seu pangasius.

Estava falando com minha esposa e ela me lembrou de outra dica para sugerir a você, e que só aprendemos depois de anos de cuidados com nossos pangasius (também tivemos um albino, como você pode ver nas fotos da postagem).

Já que o pangasius é um peixe assustado e que se bate muito, nós optamos por deixar o aquário livre de adornos internos como pedras e coisas cortantes e pontiagudas, para evitar que ele se machuque na hora dos sustos.

Deixamos o aquário de 200 litros somente com o cascalho.

Veja se não há nada em seu aquário que possa cortar ou machucar seus pangasius na hora das batidas deles por susto.

Abraços,

Anônimo disse...

Certo valeu obrigada meu cascalho tem umas pontas vou trocar pensei nisso, já tinha tirado um Coral grande que tinha machucado vou trocar o cascalho, até o aquecedor ele bateu forte e quebrou saiu até fogo pensei que ia dar choque tive um medo mas vou seguir todos os passos obrigada.

William Mendes disse...

Boa sorte mais uma vez e outro detalhe: até o aquecedor eu tirei do aquário do pangasius. Justamente pelo motivo que você descreveu. Abraços

Anônimo disse...

Meu nome é Ivan e o meu panga está morrendo nesse momento, ele esteve comigo por mais de cinco anos, passamos por vários problemas juntos, as doenças que pensei que morreria, mas ele não era um cara normal. Pulou duas vezes fora do aquário, uma delas nas costas de um amigo que deveria está perturbando com ele, depois disso ficou sendo chamado pela minha esposa como "o louco", apenas por ser um pouco hiperativo. De todos os problemas a última doença foi a pior, despelou todo, tratei trocando a água, pouco de sal grosso e uma vitamina aí. Sei o que vc sentiu e isso não é bom. Um abraço.

William Mendes disse...

Olá Ivan, só vi seu comentário agora às 2h da madrugada.

Poxa, cada vez que vejo um relato de alguém passando esse momento triste com seu querido pangasius, estando num momento ruim, fico triste também e me solidarizo com a pessoa.

Pelo que você descreveu, talvez seu pangasius não tenha resistido ao dia de hoje.

Sabe Ivan, no dia que meu pangasius pulou do aquário e ficou muito machucado porque caiu de uns dois metros de altura, ele teve um momento que ia morrendo no aquário (horas depois) e eu acabei insistindo com ele para não morrer - mexi com ele mesmo - que ele despertou e saiu nadando. Juro. Viveu mais um tempão.

Sabe, tenho boas lembranças dele, mesmo ele sendo um peixe estressado. Abraços e força aí!

William

Anônimo disse...

Ola Amigo.. tenho dois pangasius, tico e teco,,,tem uns 2 anos, 60 cm,, se quiser estou doando entrar em contato, marcelohfsantos@yahoo.com.br

jaui mello disse...

oi boa noite william,tenho um aquario tambem e um pangasius sou doido por ele tem dias que chego do trabalho me sento na sala e fico um tempo so o admirando,as vezes me assusto porque tem horas que ele fica muito quieto no canto em cima da cortina de bolhas

enfim forças e gostei muito de suas palavras e de saber que ainda existe pessoas como o senhor que admira peixes e animais marinhos
abracos
jaui mello

William Mendes disse...

Olá Marcelo, como vai?

É tentador ganhar um presentão desses: dois pangasius. Mas no momento, não teria condições de voltar a cuidar de um aquário com peixes do porte dos pangasius.

Pra você ter uma ideia, o meu aquário pequeno está na minha mãe em MG desde que me mudei para trabalhar em Brasília até 2018.

De qualquer forma, muito obrigado e desejo que o Tico e Teco estejam bem caso você encontre alguém para cuidar deles.

Abraços, William

William Mendes disse...

Olá Jaui, como vai?

Que legal seu comentário. Como eu disse na postagem, meu pangasius tinha uma certa rotina conforme o horário do dia. É normal esse tipo de peixe passar o tempo que você disse na cortina de bolhas.

Vivi mais de uma década fazendo como você descreveu. Às vezes, chegava do trabalho e sentava em frente ao aquário para esquecer um pouco a vida e curtir o pangasius e os outros peixes que tinha num aquário menor do lado do aquário grande.

Abraços e tudo de bom pra ti e pro seu pangasius.

William

gutemberg rossiny disse...

Obrigado pelo compartilhamento conosco. Eu consigo um e-mail seu pra trocarmos uma ideia sobre o pangasius ?
Obrigado. To precisando muito de uma ajuda.

William Mendes disse...

Olá Gutemberg, me desculpe. Eu vi bem depois o seu comentário. Conseguiu encontrar o que precisava para o seu pangasius? Abraços

Anônimo disse...

ola qual seria a melhor ração para alimentar o pangasius ? eu comprei um recentemente e tenho percebido que ele mostra pouco interece pela ração que tenho usado para alimentar ele !

William Mendes disse...

Olá leitor que me pergunta sobre a ração para pangasius. Eu sempre dei a ração de flocos Alcon Basic e ele comia com gosto. Certa vez, comprei de bolinhas, mas ele não tinha interesse não. Já os flocos, ele comia bem. Abraços e desculpe a demora e ver a mensagem.

William

Neia Rosseti disse...

Olá, Boa noite! Tenho 3 pangasius e 1 deles nasceu tipo uma verruga no nariz, alguém sabe me dizer oq seria?

William Mendes disse...

Olá Neia, como vai?

Não sei o que poderia ser. Os pangasius se machucam muito porque se batem. Eu sempre tratei o meu só colocando sal grosso na água (Não muito, depende da quantidade de água).

Abraços e boa sorte!

William