quinta-feira, 7 de janeiro de 2010

Refeição Cultural 44 - Cinema Paradiso, de Giuseppe Tornatore

Capa do filme Cinema Paradiso(atualizado em 11/04/10)

O que eu estava fazendo em 1989?

Eu me lembro que assistia a muitos filmes. Acho que assistia a muitos filmes ruins. Pelo que me lembro, morava de aluguel no fundo da casa da dona Ivone, mas a lembrança é meio turva.

Trabalhei no Unibanco entre 1988 e 1990. Como eu mudava de moradia constantemente, lembro-me que tanto morei no final do bairro Rio Pequeno - Butantã, época em que voltava à pé do banco, vindo do centro administrativo (CAU) na rodovia Raposo Tavares, quanto morei em Osasco, no fundo da casa da dona Ivone, perto da Av. Antonio C. Costa.

Mas, morando em Osasco, lembro-me que via muitos filmes. Às vezes, assistia a uns cinco filmes no final de semana. Concluo que devo ter visto muita porcaria. Filmes de terror, enlatados sem importância e coisas do gênero. É impressionante o quanto eu não conheço bons filmes que foram lançados nos anos oitenta!

Lembro-me ainda de estar chegando em casa à noite e encontrar a porta aberta. Tive a casa arrombada e me furtaram o videocassete que ainda estava pagando.

“todos os dias quando acordo, não tenho mais o tempo que passou, mas tenho muito tempo, temos todo o tempo do mundo...” (Tempo Perdido - Legião Urbana)

- que belo filme é Cinema Paradiso!

Eu estou emocionado. Fiquei vendo flashs da minha vida "nos antigamente", vida comum de todos nós. Parece que estou ficando velho. Mais velho que minha idade. Bem mais velho que minha idade...

Apesar de não ter mais o tempo que passou, estou vivo e tenho ainda muito tempo, tenho todo o tempo do mundo.

Como escrevi dia desses: viver hoje o que sobrou de ontem.

Viver meu pai, viver minha mãe, minha avó, viver alguns amigos, viver essa imensidão de filmes que não vi, de músicas que não conheço, que não sei o que falam, apesar de ter ouvido tanta, mas tanta música e eu praticamente não conheço outras músicas que agora entendo que devo conhecer.

Engraçado, se tivesse morrido no meio do caminho, como meu primo que se foi, eu não teria conhecido tanta coisa que foi do nosso tempo e que não conheci (não conhecemos) e que só agora estou me apresentando a elas.

Foram décadas para conhecer livros como Diário de Anne Frank, 1984, filmes como 2001 uma odisséia no espaço, como Carruagens de fogo, Blade Runner, O nome da rosa etc etc.

Se começar a falar em clássicos filosóficos e políticos então... não conheço nada! Sou ainda ignorante...

"Viver é foda, morrer é difícil... te ver é uma necessidade..." (Vamos fazer um filme - Legião Urbana)

Comentário sobre o filme? Eu senti tudo isso aí em cima e muito mais... o filme é de fazer você sentir um monte de sentimentos...

2 comentários:

Kelle disse...

É um dos filmes mais belos que já vi, e o melhor foi ter participado de um curso na faculdade de Literatura e Cinema, quando vi novamente esse clássico e pude comentar sobre ele. Mui belo!

William Mendes disse...

Eu estou descobrindo velhos filmes. A experiência é fantástica! Abraços kelle,