quinta-feira, 27 de novembro de 2008

A flexão de gênero e seus alomorfes


Relembrando...

A flexão de gênero é uma só, com pouquíssimos alomorfes: o acréscimo, para o feminino, do sufixo flexional -a (/a/ átono final) com a supressão da vogal temática, quando ela existe no singular: lob(o) + a = loba; autor + a = autora.


ALOMORFIAS NA FLEXÃO DO GÊNERO:

1- o par opositivo avô-avó.

2- as formas teóricas em /oN/
Ex: bom /boN/ = boa; leão /leoN/ = leoa.

3- o sufixo derivacional aumentativo /oN/ vai para a sílaba seguinte como consoante /n/ acrescido da desinência –a: valentão /valeNtoN/ = valentona.

4- os radicais em /aN/ com tema em -o suprimem a vogal do tema no feminino: órfão-órfã; irmão-irmã.

5- o sufixo derivacional -eu suprime a vogal do tema -o /u/ e se ditonga ao acrescentar a desinência -a: europeu-europeia.

6- alternância da tonicidade, além do acréscímo da desinência -a:
Ex: -oso /ôz/ = -osa /óz/ gostoso-gostosa
grosso /ôs/ = grossa /ós/

Segundo Mattoso Câmara, essas alomorfias se resolvem pelo dicionário, em que basta haver uma entrada para a forma teórica, em vez de se averbar simplesmente a forma de masculino.

Diz ainda: da mesma sorte, é ao dicionário que cabe informar sobre a chamada heteronímia no gênero, que não é mais do que a restrição a um gênero único de determinado membro de um par semanticamente opositivo. Por exemplo: homem, registrado como masculino, com uma remissão a mulher, por sua vez registrada como feminino.


Bibliografia:

CÂMARA Jr., J. Mattoso: Estrutura da Língua Portuguesa, 23ª edição, Editora Vozes, Petrópolis 1995.

4 comentários:

Gleisi disse...

Quero parabenizá-lo pelo belo trabalho e dizer que está sendo muito útil pra minha faculdade de letras.
Um grande abraço!

William Mendes disse...

Tudo bem Gleisi?

Meu sonho é poder um dia postar tudo o que aprendi com nossos mestres. Acho que é o mínimo que podemos fazer: reproduzir conhecimento. Meus posts são interpretações, portanto fique atenta a possíveis equívocos que eu tenha cometido. Caso perceba algum, me avise. Abraços!

Unknown disse...

Graças a esses direcionamentos consegui resolver meu trabalho...Obrigada.

William Mendes disse...

Eu fico sempre muito feliz quando recebo um retorno (feedback) de algum(a) leitor(a) do Blog que tenha conseguido colher alguma informação relevante para si. Dá um sentido para todo o trabalho que já tive nesses quase dez anos dedicando horas de minha vida a alimentar o Refeitório Cultural com informações e conhecimentos que adquiri.

Abraços, William